A conversa sobre paternidade é uma das mais importantes do nosso tempo. Venha para o PAI: Os desafios da paternidade atual, discutir e colocar em prática o tema.
Compre já o seu ingresso!

Diálogos incríveis que só acontecem comigo

Leitora me adiciona no MSN e disse que acabou de conhecer o LLL. Educadamente, eu pergunto o que ela está achando e ela diz que está gostando muito, mas que "encara algumas coisas com ceticismo". Tipo que coisas?

Bem, ela acha que meu discurso libertário não condiz com o modo como eu vivo a minha vida. Vivo uma vida normal, com emprego normal, que nem todo mundo.

Aparentemente, não sou "diferente" o suficiente pra ela: " vc não "chutou o balde", no final das contas," ela diz. Eu clarifico algumas de suas dúvidas sobre mim, mas a conversa claramente está muito estranha.

pato-loco
- Sim, eu sou um Pato 2.0. Adoro surfar na web, mandar scraps e tc no Msn.

Ela diz que eu estou defensivo, e eu respondo que, hmmm, deve ser porque ela começou a conversa me chamando de mentiroso. "Não de mentiroso, mas acho que vc está sendo hipócrita sem querer " Ah, tá.

Lá pelas tantas, ela diz que eu pareço não estar gostando de sua opinião e eu, já desistindo, respondo: "a opiniao eh sua, pouco importa se eu goste ou nao". E ela: "mas isso é um diálogo, se fosse assim eu ficaria com ela só pra mim ... eu não quero nada [de você], estava só pensando em conversar."

E fui obrigado a ser bem didático e explicar: olha só, quando você começa um diálogo me chamando de hipócrita e/ou mentiroso, eu tenho três opções:

1) Responder às acusações e ficar explicando minha vida para uma completa estranha, o que eu me recuso a fazer. Seria como o menino que foi pego com a mão no pote de biscoitos e fica gaguejando: "eu... é... bem... deixa eu explicar..." Já pago minhas próprias contas faz tempo, não preciso justificar minhas escolhas.

2) Mandar à merda, o que não faço por ser um menino bem-educado.

3) Afirmar, com um suspiro, que todos têm direito a sua opinião, que vivemos numa democracia e é melhor isso do que o Governo Medici.

A pobre menina ficou decepcionada comigo, teve a pachorra de dizer que fui eu que comecei ("vc perguntou minha opinião [sobre o blog] e eu respondi... a iniciativa nem foi minha, mas sua"), disse que esperava mais de mim ("esperava que vc me dissesse que se comporta de uma forma diferente de todos os outros "libertários" de quem já tive notícias, mesmo que fosse mentira") e foi-se embora. E eu fiquei pensando que uma moça tão educada mas tão socialmente inepta não deve mesmo ter muitos amigos.

Vejam só: ninguém nem obrigação de acreditar em mim. Ceticismo é muito válido. Os comentários do LLL estão abertos a todos que pensam que sou uma fraude. Até eu, nos meus piores dias, acordo pensando que sou um hipócrita, um vendido.

Mas, realmente, se você quer estabelecer um diálogo comigo, evite começar por aí. Não é nem porque eu não aceito críticas, mas porque o impasse das três opções efetivamente mata o diálogo.


publicado em 28 de Abril de 2008, 09:15
File

Alex Castro

alex castro é. por enquanto. em breve, nem isso. // esse é um texto de ficção. // veja minha vídeo-biografia, me siga no facebook, assine minha newsletter.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura