Documentário colaborativo sobre o templo da música Araújo Vianna

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Selo dorel jpg
  • Vivara130x50 jpg

Para celebrar a reinauguração do auditório Araújo Vianna, em Porto Alegre, fechado desde 2005 devido a problemas com sua cobertura de lona, está no ar o documentário aberto Araújo Vianna - Todas as Histórias.

Quarenta figuras foram chamadas para juntar as histórias guardadas silenciosamente por esse templo da música, entre eles: Frank Jorge, Nei Lisboa, Nico Nicolaievsky e Hique Gomez, Júpiter Apple, Humberto Gessinger, Wander Wildner, Carlos Gerbase, Juarez Fonseca e Lobão.

Já assistiu a algum show aí?

No site, abaixo do vídeo, há uma linha do tempo na qual você pode completar o resgate histórico e inserir seu texto, depoimento gravado na hora pela webcam, vídeos e fotos do seu computador ou da Internet. Como eu disse, é um documentário aberto, colaborativo. Olha esse relato sobre o show dos Mutantes nos anos 70, por exemplo.

Eles dizem que a linha continua no futuro com a programação do auditório e novas histórias. Não tenho dúvidas. Há também um tour virtual para visualizarmos como ficará o auditório.

Aqui o trailer, mas o lance é ver o documentário inteiro e contribuir no site.

Link YouTube

A previsão de reinauguração do Araújo Vianna é para o final de 2011.

Dá orgulho ver um projeto desses, né? Com patrocínio da Oi, o projeto foi concebido pela agência LiveAd, com direção de Gustavo Tissot e roteiro e apresentação de André Czarnobai, o mítico Cardoso. Meus parabéns a todos.

Ah, se contribuir com algo, avise aqui nos comentários. Quero muito ver o que vai sair. Pena que nunca sequer entrei nesse auditório.


publicado em 22 de Novembro de 2010, 22:30
Gustavo gitti julho 2015 200

Gustavo Gitti

Professor de TaKeTiNa, colunista da revista Vida Simples, autor do antigo Não2Não1 e coordenador do lugar. Interessado na transformação pelo ritmo e pelo silêncio. No Twitter, no Instagram e no Facebook. Seu site: www.gustavogitti.com


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: