Dos limites (in)tangíveis da vergonha...

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Vivara130x50 jpg
  • Selo dorel jpg

Os limite sociais são uma barreira quase sólida em nossas vidas. Nos fazem civilizados e nos sufocam, simultaneamente.

No entanto, algumas pessoas conseguem estraçalhar isso. O moleque abaixo (Jeremy Fry) não era contratado – nem drogado –, apenas resolveu "pescar o momento". O cenário foi o jogo 7 entre Celtics e Lakers, pelas finais da NBA 2008.

O ser humano é foda - bizarrices inclusas.

No telão

link vídeo

Reparem no gordão de azul que empurra e faz cara feia desprezando o Jeremy, mesmo com todos os outros batendo palma. Ele é a perfeita metáfora social da rejeição. Gordões de azul como esse infestam nossos pesadelos imaginários.

Em melhor qualidade

A pós-entrevista, em inglês.

Queria eu ter peito pra fazer uma dessas. Alguém aí já conseguiu animar um estádio/balada/evento inteiro, ainda que brevemente, só com a própria energia?


publicado em 01 de Dezembro de 2010, 11:15
File

Guilherme Nascimento Valadares

Editor-chefe do PapodeHomem, co-fundador d'o lugar. Membro do Comitê #ElesporElas, da ONU Mulheres. Professor do programa CEB (Cultivating Emotional Balance). Oferece cursos de equilíbrio emocional e escreve pequenas ficções no Instagram.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: