Dos teatros da vida, terceira parte

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Asm selo png
  • 130x50 jpg

Os diálogos da pequena série esporádica "Dos Teatros da Vida" não precisam ser lidos em ordem. Mas acho cabível deixá-los, caso haja interesse:

Dos teatros da vida;

Dos Teatros da Vida, segunda parte.

Cena 1 - O soltar da mão

— Ande logo! Sai já da minha casa!

— O amor embotado que se mostra em manto de violência.

— Me machucou, agora dou-lhe o troco!

— Te dei a liberdade de não mais conviver comigo que já não quer mais.

— Me machuca!

— Uma dor que de dentro pra fora de manifesta. É outra a coisa que lhe entrego, e não mal querer.

— Eu não sou passado!

— Tampouco pode ser meu futuro.

— Esquecerei o teu rosto e não lembrarei nunca mais da tua voz!

— Retribui com muro a quem te oferece nova caminhada.

— Tirou de mim o chão!

— Eu estou te dando todo o solo do mundo para pisar.

tumblr_mefrrurIwb1qbvp5wo1_1280 (1)

Cena 2 - O agarrar nos fios do cabelo

— Mal te enxergo nessa distância.

— Logo estaremos de mãos dadas.

— Perambeira, óleo e pó em meu coração, boca e vistas. Não te quero, não te gosto e não te vejo como há tempos vi.

— Vem me ver.

— Não tenho olhos mais para isso.

— Lembra de mim.

— Não tenho cabeça mais para isso.

— Pense no que posso te dar.

— Barganha?

— Isso! Por você, tudo!

— O que estas a me oferecer?

— Te dou o que quiser!

— Me dê sossego.

dc4359f313EDDPTOT_15139_292e454da3

Cena 3 - O castelo de cartas

— Enfim, juntos!

— O que estamos a fazer aqui mesmo?

— Era pra ser bom, né.

— Juntos.

— O plano era bom.

— Juntar.

— Cá estamos, juntos.

— E agora?

— Não era pra ser bom?

— Não tá bom?

— Pensei ser melhor.

— Já foi melhor, né...

— Antes do junto...

— Mas agora nossa história é aqui.

— Mas nós nem estamos aqui.

— Tudo tem a nossa cara, não vê?

— E nós, cá, não existimos.

— De quem é isso tudo?

— Sei lá.

— Vem cá... eu já te conheci?

69c4ac84ade96f4c-IMG_9172

O fim.


publicado em 21 de Setembro de 2014, 21:00
13350456 1045223532179521 7682935491994185264 o

Jader Pires

É escritor e colunista do Papo de Homem. Escreve, a cada quinze dias, a coluna Do Amor. Tem dois livros publicados, o livro Do Amor e o Ela Prefere as Uvas Verdes, além de escrever histórias de verdade no Cartas de Amor, em que ele escreve um conto exclusivo pra você.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: