A conversa sobre paternidade é uma das mais importantes do nosso tempo. Venha para o PAI: Os desafios da paternidade atual, discutir e colocar em prática o tema.
Compre já o seu ingresso!

Dr. Drinks na festa do Smirnoff Nightlife Exchange Project, em Bangalore

Hoje chegamos ao capítulo final da viagem do Smirnoff Nightlife Exchange Project, cujo ponto alto foi a festa canadense em Bangalore, na Índia, já que no sorteio da troca de cidades a Índia ficou de receber as tradições culturais de Toronto, Canadá.

Após dias tórridos em Mumbai chegamos a um dos maiores polos de TI do mundo com o clima bem mais ameno, por volta dos 24°C, um bálsamo se comparado aos trinta e muitos vividos na cidade anterior. Como nossa estada em Bangalore foi de dois dias, deu para descansar no hotel antes e depois de nos acabarmos na festa que, por questões legais locais, teve seu início às 18h e fim pontual às 23h.

Dá um bico em como foi a festa e depois te conto mais algumas coisas que aconteceram:

Link Vimeo

Drinks e música do Canadá

A festa teve drinks típicos canadenses como o Caesar, uma variante canadense do Blood Mary feita com Clamato (suco de tomate tradicional no país) e o Canada Mule, uma das variações do Moscow Mule que Smirnoff criou para cada país participante do projeto, com maple syrup e ginger ale, além de martinis misturando sabores dos dois países.

A música também esteve muito bem representada por DJ Sultan, Max Graham e Zara Taylor, todos mostrando a força que o house tem no Canadá. Elementos culturais como fardas da guarda florestal canadense, neve, folhas de plátano e gelo, muito gelo, deram o tom do clima de Toronto na noite indiana. Rolou até uma escultura de gelo formando a palavra Smirnoff.

O que foi o Nightlife Exchange Project



Muitas pessoas torcem o nariz quando vêem conteúdos associados a alguma marca. Concordo plenamente que se for feito de forma gratuita realmente é pobre e chato de ler. Porém neste caso é diferente, pois o PapodeHomem foi o único parceiro da América Latina do projeto. E pelo vulto que a coisa tomou foi sim uma grande honra ter feito parte desta que foi a iniciativa mais ousada da Smirnoff até então.

Desde agosto 14 países dos seis continentes habitáveis de nosso planeta, em dez fusos horários diferentes, vinham discutindo com influenciadores e formadores de opinião dos mais variados aspectos culturais o que tornava suas noites únicas. Localmente cada país produziu uma iniciativa para mostrar o que seria mandado para o país irmão, até então incógnito para todos os participantes.

Em outubro foram sorteados dois a dois para trocarem suas noites: Brasil e Austrália, Índia e Canadá, Tailândia e Líbano, Venezuela e Polônia, Inglaterra e Estados Unidos, Argentina e Irlanda e Alemanha e África do Sul. E foi justamente a quantidade de países envolvidos que tornou a ação grandiosa.

Festa brasileira na Austrália.

Se já não fosse suficiente fazer 14 países se aproximarem da forma mais divertida possível, a Smirnoff ainda resolveu chamar 11 blogueiros de 8 países diferentes para curtirem uma experiência única viajando juntos. E assim Darragh Doyle, Niall Byrne e Jonny Tiernan (Irlanda), Doug Levy (EUA), Lola Plaku (Canadá), Bobby Townsend e Michelle Wilding (Austrália), Addie Chinn e Nick Stevenson (Inglaterra), Malini Argarwal (Índia) e eu curtimos tudo o que vocês já viram por aqui,  em Bangkok e Mumbai.

Ótima troca de experiências culturais, profissionais e uma excelente oportunidade para fazer novos amigos e que a voz do PdH ecoasse em diferentes cantos do mundo. Voltei dessa viagem com a certeza de que tinha participado de algo muito grande. Sente os números:


  • Mais de 33.000 sugestões de como deveria ser cada festa foram enviadas à página local da Smirnoff em cada país.

  • Em torno de 18.000 pessoas estiveram presentes nas 14 festas, o que dá uma média insana de 1.285 pessoas por festa.

  • As performances dos mais de 50 DJs, dançarinos e bandas somaram 80 horas.

  • Foram tocadas mais de 1.400 mnúsicas nos 14 países.

  • Quase 3 toneladas de gelo foram usadas pelos mais de 200 bartenders que trabalharam nas 14 baladas.

Além disso, aconteceram coisas bem bacanas:


  • Todas as festas tiveram uma parte transmitida em tempo real na página da Smirnoff para o mundo todo.

  • Londres teve uma experiência com RFID, pela qual os usuários cadastravam seus perfis de Facebook numa pulseira e quando gostavam de um ambiente, uma música ou um drink eles, bastava encostar em totens espalhados pela festa para compartilhar pelo simples toque o que estavam curtindo.

  • A balada brasileira em Sidney contou com a performance eletrizante do Bonde do Rolê, além de jogadores de futebol freestyle e, como não poderia deixar de ser, uma bateria de escola de samba que fez a gringaiada cair no samba.

  • Na Argentina foi instalado um típico pub irlandês que revelou uma after party secreta ao final da noite.

  • No Canadá a hasgtag #SmirnoffXchange foi trend topic.

  • Em Miami foram transmitidas ao vivo imagens das ruas de Londres.

Festa libanesa na Tailândia.

E o PapodeHomem com tudo isso?

Fomos convidados a participar do projeto pela relevância de nosso trabalho. Mais do que o entendimento do universo masculino, nossa preocupação em demonstrar formas criativas e prazerosas de lifestyle tinha a adequação necessária para termos uma atuação estratégica dentro do projeto em nível global.

Uma experiência que eleva nosso patamar de parceira com grandes marcas e brinda nosso público com um conteúdo pra lá de exclusivo, ou seja, ganha-ganha! E que venham muitas outras!

Agradecimentos importantes

Algumas pessoas foram extramemente importantes para que tudo isso acontecesse. O time PdH, que esteve presente e me ajudando com dicas de lugares e boas energias em todos os momentos que antecederam a viagem. Becca Graham e Haran Ramachandran, da Splendidcomms, que com muito profissionalismo e competência foram nossos cicerones na viagem e fizeram com esta experiência fosse o mais proveitosa possível. Meu grande amigo Leonardo Sulzbach, que deu uma força inestimável na pós-produção dos vídeos dando um toque requintado com seu motion design.

E por último e não menos importante, à minha esposa e parceria Juliana Ricci, que soube segurar a barra de ficar 15 dias longe do marido que fazia baladas no outro lado do mundo.

E o que vem agora?

Obviamente as celebrações de final de ano, mas pra gente elas tem um gosto especial. Esse ano o PdH cresceu a olhos nus. Então não percam nas próximas sextas-feiras as receitas especialíssimas que preparei para fecharmos com chave de ouro e muito sabor este ano de 2010 e entrarmos 2011 com os dois pés no peito!

E já aproveitem pra deixar aqui nos comentários suas receitas pra começar 2011 com os dois pés no peito, quem sabe ela não acaba virando uma receita do Dr. Drinks? Vale falar qualquer coisa e a gente tenta traduzir em sabores e aromas!

Um beijo e até semana que vem.


publicado em 17 de Dezembro de 2010, 16:49
63c64bb52a2d6969065166dcd39cd9b8?s=130

Junior WM

Um grande apreciador de história e histórias. Vive a vida de forma que seja lembrada como honrada e humana. Ama os prazeres da vida e sua família. Escreve sobre passar pelo mundo com dignidade e alegria. Contribui com a revolução digital por acreditar em seu caráter humanitário e num mundo melhor.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura