Estamos procurando um autor para escrever sobre saúde do homem no PdH! Topa? Mais informações aqui.

Ei, Internet: pare de tentar me inspirar

Será que todo mundo está sorrindo e cheio de energia todos os dias mesmo?

Quando as pessoas são positivas demais e demonstram uma disposição ultraotimista com relação ao mundo, isso me deixa brocha. Há um bocado de gente por aí tentando nos inspirar, mas que acaba nos deixando envergonhados por sermos humanos. Seria fácil para mim dizer:

“Tudo que acontece tem seu motivo!”

“A vida é uma aventura!”

“O amor resolve tudo!”

“Felicidade é uma questão de escolha!”

São coisas fáceis de dizer. Coisas fáceis de pensar. Fácil, fácil, fácil. Mas quando a vida acontece, o sentido disso tudo se desfaz rapidinho.

Passei noites demais me sentindo envergonhada por não ser mais positiva, mais feliz, uma pessoa melhor, mais forte. Olhava para as pessoas positivas plastificadas e me perguntava o que estava fazendo errado. Por que o mundo me afetava tanto? Por que cada dia não surgia como uma aventura? Essas pessoas não têm que pagar contas e participar de conversas desconfortáveis, algumas vezes acordar com dor de cabeça, e com um abacaxi para descascar? Por que eu aparentemente era a única a ser tão profundamente afetada pela experiência humana?

Não quero mais me sentir inspirada. A inspiração é barata. É fácil. É cheia de florzinhas. Está encharcada de promessas que ninguém é capaz de cumprir.

Quero me sentir compreendida. Quero me sentir ouvida. Quero saber que meus pensamentos esquisitos, fora do padrão e pesados, meus medos e sentimentos, não são só meus. Não preciso de mais alguém negando a minha experiência tentando me sufocar com palavras de algodão doce — igualmente enjoativas. Quero a realidade nua e crua: prefiro ver pessoas quebrando a cara, e não tentando agir como se nunca cometessem erros.

Estou cansada das pessoas tentando me inspirar para ter uma vida melhor, maior, mais feliz. Deixem-me existir. Deixem-me tropeçar. Deixem-me encontrar a luz no fim do túnel. Deixem-me descobrir as coisas sozinha. Precisamos menos inspiração falsa nesse mundo, e mais realidade. Menos fim dos tempos. Menos felicidade falsa. Mais da coisa como ela é. Menos pregação. Mais contar de histórias. Menos conselho. Mais comunidade.

Eu queria que as pessoas parassem de tentar aperfeiçoar minha vida. Todo mundo está vendendo a pílula mágica da felicidade. Por que eu tenho que ser tão feliz o tempo todo? Não posso só viver?

"Seja sua própria inspiração". Chega.

Eu quero que você saiba que você não precisa se consertar caso não esteja sorrindo a cada instante do seu dia. Algumas vezes há pouco quanto a se sentir gratidão, e tudo bem. Algumas vezes é difícil reunir a energia para ser feliz com o que se tem, quando se quer muito mais de si mesmo e do mundo. Tudo bem. É ok ficar bravo e ser meio esquisito e negativo às vezes, e não uma bola de positividade a todo instante. Algumas vezes é ok ficar entediado e achar a felicidade meio chata, já que ela de fato pode ser. Algumas vezes está bem ser temperamental e triste, talvez contemplativo, e resolver problemas com um copo de vinho, ou uma pizza, ou talvez sexo gostoso, nem sei bem ao certo, mas está tudo bem não saber, não ter respostas, só ser meio... qual é a finalidade disso tudo?

Não há problema em sentir que o chão está sacudindo sob seus pés. Está bem porque tudo é temporário. Hoje você pode perder o passo, e amanhã estar no topo do mundo. As coisas mudam num instante. A felicidade é tão passageira quanto qualquer outra coisa. Esses vendedores falsos que agem como se possuíssem a cura para “ser humano” realmente me perturbam. Eles só servem para nos deixar envergonhados por não ter tudo resolvido. Eles vendem a experiência da inspiração, mas assam a vergonha no mesmo forno.

Só me prometa que a última coisa que você fará é se envergonhar de onde se encontra em termos de sua experiência como ser humano. Nada bom vem da vergonha. É o lugar vibracional mais baixo de onde se pode operar. Evite a vergonha e tudo ou qualquer coisa que cause vergonha. Expulse ela de seu campo de energia. A vergonha não vai motivar ninguém. Só drena nossa energia.

Se há uma promessa que você pode fazer para si mesmo, que seja isso: eu não vou me envergonhar de minha experiência única como ser humano. Esqueça essa besteirada positiva: aquela promessa, aquele mantra, aquele estado mental que pode realmente mudar vidas. Uma pessoa incapaz de se acovardar diante da vergonha é um herói – considere todas as muitas razões para a vergonha produzidas pelo mundo. Abandonar o sentimento de vergonha é um ato de resistência radical. Seja você mesmo. Seja verdadeiramente você. Que liberdade.

* * *

Nota: esse texto foi traduzido a partir da página do Medium da autora.


publicado em 01 de Agosto de 2015, 00:05
Jamie

Jamie Varon

Escritora freelancer, designer e consultora criativa sediada em Los Angeles, Califórnia.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura