Ejaculação precoce: fantasia vs realidade

Problemas sexuais quase sempre começam fora cama, bem antes do sexo.

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Selo dorel jpg
  • Vivara130x50 jpg

Se a ejaculação precoce fosse uma pessoa, ela diria algo assim:

"Hey! Está difícil lidar com o prazer. Eu fico agitado, apreensivo, hiperestimulado. Pensamentos incontroláveis invadem minha cabeça e não consigo relaxar, quanto mais administrar administrar o desejo.

Estou meio impressionado. Existem forças internas que me impedem de ficar em paz. Às vezes é medo ou afobação. Acho que a parceira me intimida com suas vontades e acabo me sentindo frágil, acuado. Gozar é quase um alívio que tira dos meus ombros a pressão gigante de ser uma fonte de prazer.

Confesso, me sinto uma criança no que se refere a sexo. Ainda que eu tenha que ser incrível, no fundo, eu me apresso, pois sinto uma força se perder rapidamente dentro de mim. Dou um grito de prazer antes de desfalecer, afinal, broxar seria humilhante. Quando dou por mim, é isso que acontece: o gozo seco que não chega nem mesmo a ser um orgasmo. O efeito emocional é o mesmo de broxar.

Impotência diante do que deveria realizar e não consegui."

Essa pseudodescrição em primeira pessoa da ejaculação precoce tem muitos assuntos embutidos.

No fundo, o desejo sexual, base de uma das maiores fixações e aflições masculinas, ainda é um grande desconhecido. O motivo é simples, mas não exatamente óbvio.

A sexualidade masculina é bastante estimulada por projeções externas ao corpo. Por exemplo, se há uma garota bonita ao alcance dos olhos, eis o que é preciso para o desejo surgir. Estímulos visuais, auditivos, sensoriais. Esse é um dos motivos pelos quais a pornografia vem "socorrer" homens que sofrem de dificuldades para fazer brotar e sustentar tesão. Quanto mais hardcore a exposição ao sexo, maior a garantia de excitação. Na vida real, claro, a equação não fecha.

O confronto com a realidade

Problemas sexuais quase sempre começam fora cama.

Em geral, é uma cadeia de eventos internos e externos que cria as encruzilhadas nas quais a libido se perde e deixa de fluir da mente para o corpo, para a prática e para o parceiro (ou parceira).

É muito comum que homens se habituem a bloquear emoções. Não é de se estranhar que o desejo também seja afetado e, de alguma forma, colocado em um ponto inacessível.

O desejo treinado por fontes extrínsecas de grande intensidade, como a pornografia, gera uma certa dependência de um gatilho visual, pouco emocional e sem corpo.

Na hora do sexo real, essa libido visualmente condicionada perde potência. Ela não tem base interna, carece de familiaridade. Quando o desejo sai da esfera da fantasia e ganha corpo, passa a não mais de fatores como peito, bunda, vagina e sim de equilíbrio emocional. Sem isso, o desejo se descontrola e explode. Ejaculação precoce.
 
Pode parecer uma teoria complicada de entender, mas não é raro que essa pressão aumente quando o homem realmente se importa com a parceira, em quem projeta sua necessidade de performar com excelência.

Em parte, essa é a razão de muitos homens não entrarem em relacionamentos sólidos. Fica difícil não expor suas fragilidades afetivo-sexuais.

Aqui embaixo listo alguns dos obstáculos mais comuns quando o assunto é ejaculação precoce.

Apatia afetiva

Se uma pessoa passa dias, semanas, meses e anos ignorando suas próprias emoções, de que forma poderia ter o apoio delas na hora de transar?

Sexo, desejo, emoções, contradições, frustrações e euforia não habitam zonas independentes na mente. Elas estão todas misturadas. Alguém que se recusa a lidar com elas acaba pagando um preço alto quando está na frente de uma pessoa e precisa compassar sua ansiedade. Uma mente despreparada vai sucumbir, apressar o passo, tropeçar e até cair diante de um contratempo.

Para vencer esse obstáculo não há atalhos. É preciso desenvolver consciência do seu mundo interno, sem negligenciar ou superestimar os sinais de alarme.

Observar os altos e baixos, como sua mente opera sob pressão e também em momentos agradáveis. Com isso, a afobação típica de quem está nu e constrangido por desempenho tende a abaixar com o tempo.

Mente conclusiva-resolvedora

Homens são educados a resolver problemas, ainda que não resolvam muitos dos seus. Mas esse hábito de certa forma dificulta que lidem com situações que fogem do reducionismo. Não é fácil reduzir o sexo às alternativas A e B .

O desejo é fluido, imprevisível, indomável. Quanto mais tentamos colocar sua trama sob controle, mais ele vai descompassar. O desejo, acima de tudo, é honesto. Se há conexão, ele nos movimenta. Se há distração, ele nos pune com sua ausência.

Utilitarismo emocional

—Por que você vai transar com aquela garota?

—Por que? Para meter, oras, muito gostosa, quero gozar na cara dela.

Pode não parecer, mas essa objetificação tem um preço. Sem ver a outra pessoa como uma pessoa, não é possível lidar com a sua personalidade tranquila ou agitada, perspicaz ou afetiva, intelectual ou passional.

Sexo, não é só o ato mecânico da penetração ou das carícias. É uma relação de prazer na qual o equilíbrio entre instinto e racionalidade precisa estar bem azeitado. Se o homem transa em virtude de sua própria expectativa de performance, usando a garota para provar a potência da sua masculinidade, então a ejaculação precoce tem grandes chances de ser seu prêmio final.

Falta de globalidade da interação

Habituados aos filmes pornôs, quase sempre mecanizados, no melhor estilo britadeira, os homens se condicionam a imaginar o sexo como uma sequência oral-vaginal-anal-gozo-na-cara.

Com isso, parece não haver um compasso entre mãos, pescoço, cheiro, abraço, carinho, trocas de carícias e emoções genuínas. Se o sujeito passa anos praticando pinto na boceta, na hora do sexo são esses vícios emocionais que pularão no seu colo, apressando o ritmo da ejaculação e criando afobação.

Em última instância, a ejaculação precoce é uma antecipação do orgasmo (ruim) masculino antes da perda de potência sexual, impotência sexual e ejaculação precoce são irmãs siamesas.

Fixação infantil

Se um homem adulto ainda está preso em dinâmicas emocionais infantis, como o exibicionismo, passividade ou transformação do desejo em tabu, então a ejaculação precoce tem mais chances de ocorrer.

As crianças lidam com o próprio desejo com constrangimento, culpa e afobação, afinal, ainda não possuem uma cognição que as permita a diferenciar bem entre fantasia e realidade, tampouco, lidar com o controle pleno de suas ações. A maturidade sexual permite que suas pessoas adultas se relacionem, conectem e gozem sem interdições da sociedade, só entre elas, num acordo mútuo de troca.

* * *

A ejaculação precoce abre muitas portas para reflexão sobre como a sexualidade masculina ainda está aprisionada na busca por performance e como essa ansiedade torna os homens escravos da ereção.

É preciso ir além do sexo, na vida, no corpo e na mente, para que o próprio sexo possa ser realmente uma relação e não apenas uma fábula.


publicado em 09 de Abril de 2017, 00:22
File

Frederico Mattos

Sonhador, psicólogo provocador, autor dos livros "Relacionamento para Leigos" e "Como se libertar do ex". Adora contar e ouvir histórias de vida. Nas demais horas cultiva a felicidade, lava pratos, oferece treinamentos online em A Mente Humana e escreve no blog Sobre a vida.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: