A conversa sobre paternidade é uma das mais importantes do nosso tempo. Venha para o PAI: Os desafios da paternidade atual, discutir e colocar em prática o tema.
Compre já o seu ingresso!

"Empathy Library", a melhor curadoria do mundo sobre empatia

Mesmo que a gente já soubesse navegar bem através do mar de tralha que permeia a produção (e a divulgação) de cultura, artes, ciência etc, ainda seria bastante trabalhoso encontrar, pelo meio de tanta coisa boa que já temos disponível, aquilo que realmente queremos, precisamos ou o que nos serve. Esse é um dos motivos porque acho tão útil e necessária hoje a prática de curadoria, de boa curadoria.

E outro dia topei com um dos trabalhos de curadoria mais incríveis que já vi: a Empathy Library, uma iniciativa do pensador e escritor Roman Krznaric, parte da comissão de frente da School of Life.

"A Biblioteca da Empatia é primeira coleção online sobre empatia do mundo, um tesouro que pode catapultar a sua imaginação para dentro da vida de outras pessoas. Como é ser uma criança crescendo em Tehran, ou nascer cego, ou ser um soldado numa guerra que não é sua? A biblioteca leva você para viagens nestes mundos desconhecidos."

O site faz a indicação de muitos e muitos livros (ficção, não-ficção, infantis) e filmes (longas, curtas, documentários), e a motivação da iniciativa é uma só: ajudar a aumentar a nossa empatia.

Infelizmente está tudo em inglês. Ainda assim, dá pra gente pegar as dicas e procurar pelos filmes legendados e pelas edições brasileiras dos livros. Vários deles já temos por aqui. Ah, e é possível também indicar obras e ir aumentando e melhorando a lista de sugestões.

Veja lá que coisa bonita →

A lista de top 10 é um bom jeito de começar →

Captura de tela 2014-02-04 às 13.42.30

 

Antes de seguir, queria fazer um parênteses para sugerir especialmente o filme The Act of Killing. Soube dele pela indicação do professor Alan Wallace durante a formação do programa Cultivating Emotional Balance, no ano passado, e foi uma das obras mais impactantes e inteligentes que vi até hoje – é de não acreditar que eles conseguiram realmente fazer isso... O Eduardo Fernandes escreveu lindamente sobre o documentário aqui.

O que é mesmo empatia?

Empatia é basicamente a aptidão para se colocar no lugar do outro e ver o mundo a partir da sua perspectiva – emocional, psicológica, cultural, social. Três pontos importantes sobre ela:

1. A capacidade empática é um dos componentes fundamentais para termos um bom equilíbrio de conação – dos processos mentais de formação da vontade e da intenção, e, por consequência, das nossas noções de ética e moralidade. Ou seja, a própria base a partir da qual nos colocamos no mundo, nos relacionamos com as outras pessoas, com as dinâmicas sociais, o trabalho, as finanças, a educação, os conhecimentos, e mesmo com os animais, o ambiente e os recursos naturais. De forma mais simples: se temos bom nível de empatia, as nossas vontades são naturalmente mais condizentes com nossa aspiração por uma vida satisfatória, com um bom sentido e boas relações.

2. Raramente se encontra tal distinção em discursos sobre empatia ou sobre compaixão, mas a atitude empática é diferente da atitude compassiva. Sempre que surge compaixão, há empatia como base, mas é possível existir muita empatia e quase nada de compaixão, ou seja, quase nenhuma confiança na capacidade do outro em superar aquela condição de sofrimento (e com isso uma desistência, uma ausência de meios hábeis para agir).

3. A empatia pode ser aprendida, e um bom jeito de começar é justamente se dispor a olhar com abertura e curiosidade atenta para o mundo dos outros, entendê-los por dentro. Seja através da arte, dos filmes, dos livros, seja usando métodos de educação e treinamento, seja no contato direto com as pessoas no nosso dia a dia.

o lugar

Mesmo que a gente veja sentido nisso e tenha vontade de aprender mais sobre empatia, compaixão, equilíbrio de atenção e bom ânimo, aprender sobre nossos viéses cognitivos, formação e transformação de hábitos, cultivar relações mais saudáveis, às vezes pode não ser tão fácil de começar. Talvez o ambiente não ajude muito, as pessoas ao redor não pareçam dispostas, às vezes não sentimos que temos tempo, energia, direcionamento, condições favoráveis, ou talvez apenas nos sintamos sozinhos, enfim.

O motivo central de trabalharmos para sustentar o lugar é justamente esse: juntar pessoas dispostas num ambiente favorável para o encontro e para as conversas, e então lidar com modos práticos de fazer esses aprendizados.

Foto do último encontro do lugar, com a Carolina Bernardes, sobre como viajar e viver sem dinheiro (o áudio na íntegra já está disponível dentro do lugar)
CT1A9868

Se voce já participa do lugar, várias das práticas, artigos e conversas no fórum estão ligados ao aprendizado da empatia, mas um jeito bem direto de começar é com esta sugestão de experiência prática →

Se você tem vontade de conhecer e participar deste experimento coletivo de transformação com gente de todo canto do Brasil (e também do exterior), é só vir por aqui →

Para receber mais conteúdo como esse

Se não quiser entrar agora e participar, você pode receber o conteúdo aberto que desagua da movimentação dentro do lugar.

Enviamos um email por mês.












Quer colocar isso em prática?

Para quem está cansado de apenas ler, entender e compartilhar sabedorias que não sabemos como praticar, criamos o lugar: um espaço online para pessoas dispostas a fazer o trabalho (diário, paciente e às vezes sujo) da transformação.

veja como entrar e participar →


publicado em 05 de Fevereiro de 2014, 07:01
Ww jpg

Fábio Rodrigues

Trabalha em espaços onde se pode aprender como melhorar as relações, cultivar o mundo interno e florescimento humano — sem oba-oba, com os pés no chão do cotidiano. Coordenador do lugar, tutor no CEBB Joinville, professor do programa Cultivating Emotional Balance, artista visual, pai do Pedro.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura