Equação fundamental dos Namoros à Distância

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Selo dorel jpg
  • Vivara130x50 jpg

Pergunta: "Caro Dr. Love, estou namorando uma gata, linda mesmo, só tem um
porém, ela estuda a mais ou menos 3mil km de distância de mim e só nos
vemos nas férias, ou se eu for na cidade dela.

Fora isso nosso relacionamento se resume a telefonemas e internet.

A minha pergunta é: isso pode dar certo? Você pode me dar algumas dicas para manter um namoro a distância?"

- Lucas

Caro Lucas,

dou-um-doce
Hoje é dia de prova. Matéria pé na bunda.

hoje estou me sentindo matemático, então vou ilustrar sua situação com uma pequena fórmula, que aprendi nos tempos de mobral.

Distância em Km x Dias Separados / Fator de Abstinência = Chance de Dar Merda

Fator de Abstinência = número de dias que ela agüenta ficar sem sexo x 10

Supondo que vocês se vejam uma vez a cada três meses, temos a seguinte equação:

3000 x 90 / Ft Abstinência = CDM

Vamos supor que sua namorada não seja um caso de BC e consiga permanecer razoavelmente sã durante 30 dias a seco - teremos entao um FtA de 300. Isso significa uma CDM de 90%, respondendo com precisao sua dúvida inicial.

O que nos leva à sua segunda pergunta.

"Você pode me dar algumas dicas para manter um namoro a distância?"

Termine.

Dado a impossibilidade de se calcular com precisão o FtA de qualquer fêmea, manter um relacionamento como esse é um exercício de:

A.

B. Onanismo

C. Resiliência Anal, para a pressão de tomar no cú sucessivamente

A não ser que você seja um padre, suas opções são:

A. atuar como P.A.

B. partir pra putaria assumida do cada um por si e ficar com todas enquanto faz juras de amor pra "oficial" via msn

C. Comprar muito KY e Aspirina, pra suportar as dores localizadas

Em uma nota paralela, recomendo também apostar na Mega Sena acumulada. Grana faz bem pra dor de cotovelo.

Pitágoras, espalhando amor e dinheiro pelo mundo


publicado em 12 de Maio de 2008, 14:39
92e8d9697a8dd2faf3d0bc4f9d3a08fc?s=130

Dr. Love

Consultor amoroso e cachorrão nas horas vagas.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: