Estágios da Bebedeira – Versão PdH

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Selo dorel jpg
  • Vivara130x50 jpg

Todo mundo bebe (ou quase), todo mundo passou mal um dia (ou quase, de novo) na vida por causa de “leves” excessos no teor alcoólico ingerido. Mas poucos pararam para analisar as fases pelas quais um chapado passa ao longo de uma noite. Sem enrolação, taí a versão PapodeHomem dos 10 Estágios da Bebedeira. Em terceira pessoa...

1º  Estágio – Esquenta

É aqui que o garotão pára e pensa em como a vida tem lá suas recompensas, que este será sim recompensado, com qualquer líquido que possua algum teor alcoólico. 5%? 30%? Não importa. O que importa é em como ele agora está conversando com todo mundo, até trocou telefone com aquela garota que sentou do lado dele e fez questão de deixar combinado algo com o cara que conheceu há 5 minutos. Sem contar que se tornou o cara mais comunicativo que ele mesmo já conheceu.

2º  Estágio – Sabe-Tudo

Convenhamos que tem uns por aí  que não precisam beber para que isso aconteça, mas o que acontece aqui é que o nosso amigo se torna o cara mais esperto e entendedor do lugar. O cara fala desde o discurso do Obama, até as cervejas mais raras do mundo, e pior, diz que experimentou grande parte delas.

Você tem uma viagem marcada pra Espanha no mês que vem? Relaxa, ele conhece um primo de um amigo da tia da ex namorada do irmão que conhece a Espanha como a palma da mão. E que também conversa com ele pelo MSN, o que já é suficiente pra te dizer que sabe tudo de lá – talvez tenha aprendido por osmose – e vai te indicar as melhores baladas, os melhores restaurantes e de quebra, vai te passar o contato de algumas modelos capas de revista do país. Coisa top. O cara é foda!

Perdido

Regra número 1 de turismo: não seguir indicações de bêbados.

3º  Estágio – O Comedor

O cara, além de entender tudo de tudo, come todas. Praticamente uma lenda, um mito, alguém que você deveria sinceramente se espelhar. Quando ele pega como exemplo o condomínio que mora, você provavelmente escutaria que o Bloco A e B foram exterminados no primeiro mês depois que se mudou pra lá. E como se não bastasse, ele acusa as garotas do bar de estarem olhando pra ele. E te alerta: as que não estão olhando é porque estão fazendo charme. Nessa fase não é difícil escutar, dele mesmo, se não se parece com o Brad Pitt.

4º  Estágio – Zero Amor-Próprio

É aqui que ele vira pra você e comenta como aquela garota da mesa da frente é idêntica à Cleo Pires, e você fica sem entender, porque na mesa da frente existe na verdade um rascunho não terminado de uma mulher. Se a menina comeu alho a noite intera e não existe ninguém ao redor dela num raio de 5 metros, se ela é irmã do cara, se é a ex namorada com quem o melhor amigo deu um tempo, nada disso importa.

Cara abraçando árvore
No dia seguinte você descobre que ela não era nada igual a noite anterior.

5º  Estágio – Supino Reto

O cara nem malha, mas malhar pra quê? Ele é o mais sociável, entende de tudo, come todas e pode ter tudo o que quiser. Essa é a hora em que o cara parece um pombo, peito pra frente, cabeça reta e andando sem mexer os braços, praticamente um armário ambulante.

Se passar pelas garotas, mexe sem dó, e quando passa pelos cuecas, parece manco, dando ombrada atrás de ombrada. Atenção para o detalhe que se ele resolver dançar, exige por lei um espaço amplo ao redor, e tem uma dança diferente, que fica difícil diferenciar aquilo de uma briga. Uma briga com o vazio.

6º  Estágio – Tenho um hotem em Dubai

É aqui que você lembra do garotão te falando no começo, “veio, não me deixa beber muito, nem muita coisa cara!”, e avisa, “campeão, tem certeza que vai pedir um desses?”. E a resposta que provavelmente virá será algo parecido com, “Você ta falando por causa do preço? Ah, pára com isso veio, dinheiro não é o problema, dinheiro é a solução”. Sem contar que ele insiste em pagar uma rodada da mesma bebida cara pra quem estiver com ele. A galera aceita né, fazer o que.

7º  Estágio – O Mala

Se você achava o cara chato, aqui piora. E piora de vez, porque ele começa a fazer as coisas mais idiotas, que nem seu irmão de 5 anos faz mais, e achar que ninguém está vendo nada. O nego se tranca no banheiro e fica gritando que está preso. Sai com o rolo de papel higiênico enrolado no pescoço. Mija na pia do banheiro. Se revela cantando Village People. E as piadas que eram mais ou menos no começo, agora não tem mais graça nenhuma, mas ele insiste, e conta de novo se for preciso.

8º  Estágio – Entrou alguma coisa no meu olho

E quando parece que não tem mais jeito, alguma coisa acontece, ele pára. Sai de cena o cara da bagunça e entra o chorão. Ele chora porque esqueceu de dar ração pro cachorro naquele dia, chora porque a ex não liga faz uma semana, chora por saber que o amigo falou que ia estar lá e não foi. Quem der bola pra ele nessa hora, se fode. Se prepara pra ter uma manga da camiseta maior que a outra, vai ser o lugar favorito dele pra manter contato com as pessoas, enquanto te conta histórias ridiculamente tristes e chora.

9º Estágio - Ender Der Nacht

É nessa fase da bebedeira que nosso herói chega em casa com a cara inchada, olhos vermelhos e nariz escorrendo. Vai pro quarto de maneira parecida com um alimento indo ao estômago, escorrendo pelas paredes. Deita na cama, pega o celular, e faz ligações. Muitas ligações. Até que dorme e acorda no outro dia ao som de “tutututu...”.

Se beber, não dirija.
Bebeu? Nem pense em colocar a mão no volante.

10º Estágio – Eu? Ontem?

O pessoal conta o que ele fez na noite passada, e ele jura não ter saído do sofá da balada. “Velho, você saiu com o rolo de papel higiênico enrolado no pescoço”, “Pára de falar merda, porra, vocês tão loucos, eu mal curti ontem!”. Mas ele acaba lembrando de tudo, ao longo da semana, na medida que os flashes de memória vão surgindo.

---

Me deparei com os 10 Estágios no cardápio de um bar aqui em Campinas, em um desses Happy Hours da vida.

Pensando bem, deve servir pra acompanhar seus amigos na caminhada rumo à derrota pra bebida no final da noite. Esso se você, como bom saco-roxo, não resolver se juntar a eles.

Quem quiser conferir, vale a pena, o bar chama Zin’ Bar. Fica na Rua Oswaldo Cruz, 586, no Jardim Guanabara, aqui em Campinas.

E vocês galera, já encenaram ou presenciaram alguma cena memorável de algum desses estágios?


publicado em 16 de Julho de 2009, 01:00
A8d88da94ffd8a48cc20c0fe97b21144?s=130

Breno Spadotto

(Quase) publicitário e apaixonado pelo comportamento humano. Acredita que as coisas só vão para frente se a causa for abraçada: "Take your risks, live your dreams". Pretende escrever de frente para o mar daqui a alguns anos. No Twitter, /@bnospadotto.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: