Falar de dinheiro é um teste de amor: um vídeo de casais conversando sobre finanças

Conversar sobre dinheiro é difícil, mas não precisa ser assim. Aqui, falamos da importância de ter este tipo de conversa e como você pode começar

Tem coisa mais dolorida do que abrir as cifras de suas finanças com alguém?Seja o desastre ou o júbilo que são, é de dar nó no estômago.

Com nossas parceiras ou parceiros, talvez a pessoa mais próxima que temos, presente em todas as decisões, a situação deveria ser mais fácil. Deveria. Mas não costuma ser. Por quê? E sendo assim, como podemos falar de dinheiro de forma mais aberta e colaborativa, então?

É brincando com essa situação que a Fatherly, uma  página com conteúdo para pais, criou esse vídeo, onde casais falam abertamente de suas finanças.

As conversas podem ser estressantes, como eles mostram. Mas não precisa ser sempre assim. Não vivemos mais, necessariamente, no o tempo que temos que ser o homem que cuida de todas as cifras e sem pensar em dar preocupação ou satisfação alguma para a pessoa que vive ao nosso lado. Podemos construir e falar de nossas finanças juntos, sem esconder.

O próprio vídeo destaca, vale dizer, como falar de finanças com sua parceira ou parceiro ajuda no planejamento e diminui o estresse que você carrega com suas contas. Dá um calafrio falar com o outro de forma constante e aberta sobre algo tão problemático, mas, no fim, é um exercício que vale ser posto em prática.

O Eduardo Amuri, consultor financeiro e autor da casa, se aprofunda ainda mais sobre a questão em seu texto "Deixa que eu pago, amor": finanças para casais. Aproveitamos a proximidade com ele e pedimos um norte, e ele acabou falando um pouco mais da importância de falar sobre dinheiro:

"Conversar sobre dinheiro é fundamental não só porque é a maneira mais eficiente de se aprender sobre o tema, mas também porque, ao falarmos sobre os números, falamos também sobre nossos sonhos, angústias, desejos, receios e frustrações.

Conseguimos fingir que esses pontos espinhosos não existem através de boas argumentações, tons de voz meticulosamente escolhidos e conversas inacabadas, mas é realmente difícil enganar os números. Uma conta sem saldo é sempre uma conta sem saldo. Uma fatura de cartão de crédito gigante é sempre uma fatura de cartão de crédito gigante.

O dinheiro traz a conversa para o chão."

Falar sobre dinheiro com alguém que você mantém um relacionamento é, sobretudo, sobre travar conversas reais. Necessárias. 

Porém, como fazemos? Qual prática podemos ter para começar esse vínculo? Outra vez, recorremos ao Amuri, que traçou dois cenários:

  • Para os casais que não enxergam o tema como tabu, ele recomenda "simplesmente começar. Abrir um espaço de 10 minutos, com 5 minutos de fala para cada um".

    Também aconselha que não se coloque muitas regras, só que busquem manter uma escuta ativa. "Cada um vai falar, por 5 minutos, sobre como enxerga o dinheiro e sobre como tenta se organizar. Para quem está escutando, o exercício é escutar sem grandes reações, contendo a ânsia de dar conselhos, rebater, fazer caretas, sorrisos ou algo do tipo".
  • Para os casais que sentem dificuldade em abrir o jogo sobre dinheiro, ele sugere outro caminho, o de que a primeira tentativa de organizar algo juntos seja realizada "tomando por base um evento menor, com duração predefinida e complexidade baixa". Ao invés de abraçar o mundo logo de uma vez, começar pequeno.

    Sem ideia de qual pode ser o evento menor? "[Organize] uma viagem. Planejar uma viagem juntos é um excelente exercício financeiro e pode servir de abertura para uma conversa um pouco mais densa sobre a vida financeira a dois". Não precisa ser outro continente, um país estrangeira o. Pode ser uma cidade de seu estado, pode ser até sua própria cidade. O importante é definir uma meta pequena e fazê-la junto a sua parceira ou seu parceiro. Se de brinde vem as recompensas que uma viagem traz, um tanto melhor, não?

Esse é só um caminho para começar, trazer a conversa a mesa. Não é definitivo, não é garantidamente assertivo. Mas enxergando importância, por que não tentar?

E como tem sido suas conversas, se já fala sobre o tema? Como e no que tem te ajudado se abrir? E se não fala, o que tem impedido? Seguimos nos comentários. 

Para ler mais do que já publicamos sobre dinheiro:

"Deixa que eu pago, amor": finanças para casais, por Eduardo Amuri

4 pequenas histórias para entender como a mente controla o bolsopor Eduardo Amuri

Como organizar suas finanças, passo a passo, por Eduardo Amuri

Como anda a vida financeira dos homens? [resultados da nossa pesquisa nacional], por Breno França

Mecenas: Natura Homem

Natura Homem acredita que existem tantas maneiras de exercer as masculinidades quanto o número de homens que existem no mundo. Sem modelos a serem seguidos, sem colocar ainda mais pressão sobre os nossos ombros.

As nossas verdades, os nossos ritmos, os nossos jeitos de ser e estar no mundo. Seja homem? Seja você. Por inteiro. Natura Homem celebra todas as maneiras de ser homem.

Mecenas mobileMecenas desktop

publicado em 26 de Julho de 2017, 00:05
Logo pdh png

Redação PdH

Mantemos nosso radar ligado para trazer a você notícias, conversas e ponderações que valham o seu tempo. Para mergulhar na toca do coelho e conhecer a visão editorial do PdH, venha por aqui.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura