A conversa sobre paternidade é uma das mais importantes do nosso tempo. Venha para o PAI: Os desafios da paternidade atual, discutir e colocar em prática o tema.
Compre já o seu ingresso!

Galeria de imagens: de Doce, a lama não tem nada | #ExpediçãoRioDoce

20 registros que fiz sobre histórias que acompanhamos de Mariana a Regência. Outras imagens serão publicadas ao longo da semana.

 

Nos cerca de 2.500 quilômetros que percorremos para produzir a Expedição Rio Doce, um dos aspectos mais surpreendentes foi a proporção e o aspecto visual da tragédia. A cada registro que fiz, eu e Nina também nos assustávamos com a “beleza” que pode haver na desolação. As imagens abaixo são algumas das que registram a perda do espaço, do tempo, da rotina, das pessoas, dos laços, dos objetos e até do impalpável. No fim das contas, estamos todos com os pés enfiados na lama.

Para ver mais fotos como essas e acompanhar meu trabalho como fotojornalista e fotodocumentarista, siga-me no Instagram.

Geladeira nos escombros em Bento Rodrigues
O que sobrou de uma casa em Bento Rodrigues
Bento Rodrigues
O resto de um banheiro em Bento Rodrigues
Só a cortina resistiu
Bento Rodrigues
Sofá de Bento Rodrigues foi parar longe do que sobrou das casas.
em Bento Rodrigues
O que sobrou da escola de Bento Rodrigues
Bento Rodrigues
Os restos de uma bar em Paracatu de Baixo
Paracatu de Baixo: parece pintura, mas é lama
A repórter Nina Neves em Paracatu de Baixo
Escombros de Paracatu de Baixo
Rio Doce e trem de minério da Vale. Em Resplendor – MG
Reginaldo, pescador de Baixo Guandu
As boias para retenção de óleo não impediram a lama de chegar ao mangue
As ondas marrons da Samarco em Regência

O mar de lama em Regência/ES. 

***

Esse texto faz parte da coleção Expedição Rio Doce, reportagem especial produzida para o Papo de Homem pela repórter Nina Neves e pelo repórter e fotógrafo Ismael dos Anjos – iniciada com um chamado à nossa comunidade para recebermos sugestões de perguntas a serem investigadas.

Nosso enviados percorreram 2.500 km da Barragem de Fundão à foz do Rio Doce para investigar a maior tragédia ambiental da história do Brasil. Tem alguma pergunta? Nosso time vai tentar responder a vocês com reportagens que serão publicadas ao longo da semana.

No futuro pretendemos realizar mais reportagens especiais sobre temas de grande interesse das pessoas, e essa ida a Mariana é uma semente dos  nossos sonhos para o futuro.

Puxe uma cadeira e construa esse especial conosco.


publicado em 21 de Dezembro de 2015, 06:13
Ismael veredas corte jpeg

Ismael dos Anjos

Ismael dos Anjos é mineiro, jornalista e fotógrafo. Acredita que uma boa história, não importa o formato escolhido, tem o poder de fomentar diálogos, humanizar, provocar empatia, educar, inspirar e fazer das pessoas protagonistas de suas próprias narrativas. Siga-o no Instagram.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura