Guerra de Esperma, de Robin Baker

Evolução, infidelidade e conflito sexual. Esse livro vai transformar completamente o modo como enxerga as situações e pessoas com quem convive no dia-a-dia. Você nunca mais vai olhar para aquela sua vizinha tímida e recatada com os mesmo olhos.

Com situações extremamente provocadoras e capazes de dar nó no estômago dos mais sensíveis, esse livro nos confronta com cenários desconfortavelmente reais. Já imaginou que as mulheres podem influenciar sua fertilidade pela masturbação? Ou que os homens ajustam a quantidade de esperma a ser ejaculado de acordo com a probabilidade da parceira ter sido infiel recentemente? Que a chance das mulheres serem infiéis aumenta consideravelmente durante seu período fértil? Que elas tendem a fazer mais sexo com seu parceiro regular nas fases inférteis?

“Estamos vivendo uma transição que vai acabar com 2 mil anos de monogamia cristã. Biologicamente, homens e mulheres ficam juntos para tornar viável a criação de filhos, reduzir as possibilidades de contrair doenças sexualmente transmissíveis e, no caso dos homens – a exemplo de outros animais –, ter um controle maior da fêmea, para que ela não gere filhos de outro macho”.

Esses são apenas alguns dos fenômenos biológicos nos quais o fascinante "Guerra de Esperma" se baseia. Robin Baker é um  zoólogo inglês de 57 anos, Ph.D. em evolução do comportamento humano e professor aposentado da Universidade de Manchester. Segundo ele,

O livro é montado por 37 cenas fictícias, nas quais Baker apresenta situações hipotéticas de sexo e masturbação, muito bem escritas por sinal. Entretanto, afirma que são todas baseadas em fatos reais, o que não é de se duvidar. O mais interessante são as análises feitas após cada cena, do ponto de vista evolucionista. Longe de qualquer julgamento moral, o principal critério é a capacidade de obter ou não sucesso reprodutivo.

Polêmico, o autor afirma que 10% de todas as pessoas no mundo não são filhos de seus pais de criação. Nos explica ainda que a maioria dos espermatozóides são chamados de bloqueadores ou matadores, e têm como única função impedir que o esperma de outros machos seja capaz de fecundar um óvulo. A própria natureza preparou nosso corpo para enfrentar a competição mais acirrada possível.

O homem do esperma

As cenas detalhadas e intensas com certeza vão mexer com suas fantasias sexuais. Mais do que isso, irão plantar dúvidas nunca imaginadas nas cabeças dos mais desconfiados. A tese central é a de que os homens foram programados para monopolizar e conquistar as mulheres; enquanto as mesmas procuram - de modo instintivo - obter os melhores genes possíveis, não importando por meio de quais ações ou estratégias.

O link para o livro está aqui. E não, não vamos levar nenhuma comissão caso você compre.

Para constar, Baker é um ótimo reprodutor e hoje tem - ou acredita ter - cinco filhos.


publicado em 09 de Março de 2007, 11:59
File

Guilherme Nascimento Valadares

Editor-chefe do PapodeHomem, co-fundador d'o lugar. Membro do Comitê #ElesporElas, da ONU Mulheres. Professor do programa CEB (Cultivating Emotional Balance). Oferece cursos de equilíbrio emocional e escreve pequenas ficções no Instagram.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura