Leia mais de 20 textos sobre masculinidades no canal de Natura Homem no PdH.

Guerras Alheias: mais uma falha da guerra às drogas

O novo documentário da HBO Latin America traz a guerra contra as folhas de coca na Colômbia

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Advertisement
    130x50 jpg

Estamos em 2016 e o mundo das drogas ainda é tratado como criminoso e só. Ponto final. Uma guerra iniciada no meio do último século já gastou um sem número em investimentos de repressão e não fez arredar um passo para trás a produção e consumo de substâncias ilícitas. Questões de saúde psíquica e pública, os gastos com encarceramento em massa e a tentativa nula de reabilitação de usuário e pequeno vendedor são deixadas de lado em nome da correção.

A punição é o regime.

E o mais trágico é que, enquanto continuamos discutindo o problema, pendendo para um lado ou outro, aqui na América do Sul, o coração da cocaína consumida no planeta, a população mais carente é que paga o alto preço de estar no meio do fogo cruzado, coagida pelo narcotráfico e abandonada pelos Estados. Favelas brasileiras e argentinas, famílias hondurenhas e guatemaltecas nas cidades mais violentas do mundo, campesinos mexicanos e colombianos produzindo e transportando para organizações criminosas que ganham muito mais dinheiro do que conseguem gastar.

Em Guerras Alheias, documentário da HBO Latin America que estreia em 13 de junho, vemos a comunidade rural colombiana sofrendo com os efeitos da guerra às drogas desde os anos 90, quando os governos colombiano e estadounidense decidiram em conjunto atacar o cultivo de coca por meio da pulverização aérea com glifosato, um herbicida apontado como agente potencialmente cancerígeno pela Organização Mundial da Saúde em 2015 (mesmo voltando atrás agora, em 2016). A Colômbia era o único país no mundo com permissão de derramada de químicos pelo ar, "como bombas".

O processo constante e incorreto da derramada de veneno deu doenças nos campesinos, afetou a agricultura familiar de banana e mandioca, contribuiu com o deslocamento em massa do povo do campo, sendo o terceiro maior deslocamento de população nos tempos modernos, atrás do Sudão e, hoje, da Síria, dois países com pesados conflitos armados.

Link YouTube

E a produção, venda e consumo de cocaína vai de vento em popa no mundo. O declínio leve do consumo nos Estados Unidos e Europa são boas novidades, de acordo com o World Drug Report da ONU de 2015, mas a droga ainda é preocupação em toda a América Latina, sendo que, aqui no Brasil, o consumo é quatro vezes maior que a média mundial.

Acha muito? A previsão do jornalista e escritor italiano, Roberto Salviano, autor do bestseller Gomorra e do livro que fala sobre o mundo da cocaína no mundo, o Zero Zero Zero, é que "quem controlar o mercado chinês de cocaína vai governar o mundo", uma população de um bilhão e meio  em que boa parte trabalha em horários extensos e condições precárias. 

Meus amigos, quando a cocaína chegar lá de jeito...

Mais campesinos latino americanos terão destinos de má sorte, se a guerra contra as drogas permanecer assim, burra.


publicado em 10 de Junho de 2016, 00:05
13350456 1045223532179521 7682935491994185264 o

Jader Pires

É escritor e editor do Papo de Homem. Seu livro de contos é o Ela Prefere as Uvas Verdes. Está no Facebook, no Instagram e escreve semanalmente sua newsletter, a Meio-Fio, com contos/crônicas e uma curadoria cultural todas às sextas, direto no seu e-mail.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: