Hambúrguer, UFC e sexo anal: os 10 textos mais lidos de abril

No mês de abril tivemos picos de visitação que fizeram o site cair algumas vezes. E isso foi graças a uma tradução de um texto que lemos e gostamos, mas que foi publicado bem despretensiosamente, em um domingo qualquer desses. Que feliz surpresa notar que muito mais pessoas do que imaginávamos se identificaram e compartilharam o post "O seu estilo de vida já foi projetado". No final, ele estuprou as expectativas e ficou com mais de 121,807 visitas únicas.

Estivemos também mais atentos ao que estava rolando e postamos uma quantidade maior de textos quentes, como o do Rob Gordon sobre os hipsters que diziam conhecer uma banda inexistente e um outro sobre o incidente com o site da TAM que gerava diferenças absurdas nos preços das passagens entre o Brasil e o exterior.

Participamos do beijaço do Laerte, com uma ilustração do nosso ilustrador e designer residente, o Felipe Franco.

Felipe Franco dando uma beijoca no Laerte
Felipe Franco dando uma beijoca no Laerte

Além disso, soltamos um puta vídeo com a receita de hambúrguer pelo Paulo Yoller do Meats e um novo PdH Sessions com o Bardo & o Banjo.

Fomos cobrir o UFC 159, com Jon Jones e Chael Sonnen. O sortudo Ismael dos Anjos acabou de chegar ao QG e já embarcou para Nova   Iorque – e tirou uma das melhores fotos de todos os tempos, motivo de inveja entre nós.

E, claro, este foi o mês no qual Django, o terrível, e Mambembe, aquele de origem indefinida, invadiram o QG e deram uma boa canseira no Clint.

Abril foi um mês maluco, mas foi fodão. Agora, que venha o mês de maio.

1. O seu estilo de vida já foi projetado, por David Cain (121,807)

into-the-wild-upcoming-movies-216159_1024_768-620x465

A ferramenta definitiva das empresas para sustentar esse tipo de cultura é desenvolver as 40 horas de trabalho por semana como o estilo de vida normal. Com essas condições de trabalho, as pessoas precisam “viver“ à noite e nos fins de semana. Esta configuração nos deixa naturalmente mais propensos a gastar muito com entretenimento e conveniências, já que o nosso tempo livre é tão escasso.
Faz poucos dias que eu voltei ao trabalho, e já percebi que as atividades mais integrais estão rapidamente sumindo da minha vida: caminhar, me exercitar, ler, meditar e escrever.
A similaridade evidente entre estas atividades é que elas custam muito pouco ou nenhum dinheiro, mas exigem tempo.

2. A TAM está te fazendo de trouxa e você pode lucrar com isso, por Gus Fune (30,704)

Este post foi atualizado com uma importante nota da TAM:

A TAM Linhas Aéreas informa que ocorreu um erro no sistema de disponibilização de tarifas, causando uma grande diferença nos preços, para iguais trechos, em nossos sites do Brasil e do exterior. O erro foi temporário e já foi corrigido, graças ao alerta de nossos clientes.
Vale ressaltar, porém, que a TAM trabalha com o conceito de composição dinâmica de preços, tanto no mercado brasileiro quanto no exterior. Sendo assim, o que determina o valor das passagens é a demanda de cada perfil de passageiro e a oferta disponível, o que pode variar de acordo com cada mercado.
Por isso, o site da TAM possui versões para cada país em que a empresa opera, obedecendo às legislações locais. Cada uma das versões só permite compras com cartões de crédito emitidos no país selecionado pelo cliente.

3. [18+] Guia ilustrado do sexo anal, por Lasciva (26,171)

anal1

Tabu para um, fetiche para outros. Há quem morra de medo e não falta quem enlouqueça de vontade. Comer o rabo delas é uma das fantasias masculinas mais recorrentes. E não é para menos. A musculatura do ânus é mais firme, ou seja, ele é mais apertadinho. Há, ainda, o fascínio pelo proibido, o tesão pela novidade. Mas se você, rapaz, deseja adentrar ali atrás – faça por merecer. O cu deve ser conquistado.

4. 7 melhores desenhos animados para adultos, por Rodolfo Viana (21,974)

Gatinhos, ratinhos, tudo muito bonitinho… Mas não para todos os gostos ou idades. Pensando nisso, algumas mentes sórdidas têm feito história com desenhos animados destinados a adultos. Cheios de piadas grosseiras, palavrões, putaria e violência, gente como Seth MacFarlane, Seth Green, Matthew Senreich, o pessoal da MAD TV, a galera do Adult Swim e tantos outros mudaram o paradigma do que é desenho animado para adultos: entre um exagero aqui e uma pitada de nonsense ali, eles perpassam alguns pontos bastante comuns da vida de “gente grande”.
Selecionei aqui os sete desenhos animados para adultos que fazem minha cabeça hoje em dia. O critério foi predileção, mesmo, e a ordenação é aleatória, sem que um seja melhor que o outro. Sugiro que você complemente a lista nos comentários, dizendo quais são os seus favoritos, quais eu esqueci, quais são os melhores episódios etc.

5. Bom dia, Chi, por Luiza de Castro (18,126)

Os colares e correntes roçando pelos peitos deliciosos, as mãos descendo pela barriguinha até embaixo são de deixar qualquer ser na terra excitado. Chi está se aproveitando, enquando a gente aproveita também. É a natural vontade de ser invisível, só um pouco, só enquanto uma delícia dessa se toca, se devora, e aproveita a sua privacidade imaginária pra ser louca, sem freios, sem regras, sem boas maneiras.

6. Bom dia, Danielle, Bryony e Gabriella, por Jader Pires (16,968)

Em maio do ano passado eu escrevi o Bom Dia Danielle.
Cinco meses depois, em outubro, a nossa pequena voltou. Com mais duas amigas, a Bryony Morgana e a Gabriella.

7. O cool de forma quase doentia, por Rob Gordon (16,730)

Link YouTube

Hoje em dia, se escolhe o restaurante não pela comida, mas pelo valor de um check-in jogado na cara dos amigos; o prato se escolhe por filtros de instagram, e não pelo paladar. O mesmo acontece com filmes, roupas, cervejas, músicas. Abandonou-se o gosto pessoal: vive-se, hoje o gosto do outro. É preciso ser mais cool que os amigos. É preciso ser mais cool o tempo inteiro.
É preciso ser mais cool de forma quase doentia.

8. Os atores que mais morreram no cinema, por Jader Pires (16,645)

Morrer não deve ser fácil, não mesmo. Nem de brincadeira (no inglês, o verbo to play vale tanto para brincar quanto para atuar e jogar). Mas assim como há de haver talento e muito trabalho pra se saber jogar… ou atuar, também vê-se necessária uma boa capacidade pra brincar de morrer.
Senhoras e senhores, apresento para vocês os atores que mais morreram no cinema.

9. Como xavecar sua chefe, por Isabella Ianelli (16.528)

Há alguns dias os garotos iniciantes no feminismo aqui do PapodeHomem postaram no Facebookum link para um texto da Madeleine Davies, traduzido e publicado pela Iara Paiva, do Blogueiras Feministas. Numa enxurrada de comentários negativos do texto e da posição superior que ele supostamente dá à mulher, decidi exemplificar a questão com uma sugestão.
Antes, um adendo para os comentários: são muitos. Tem do tradicional “azeda”, “bicho do mato”, “nunca recebeu uma cantada na vida”, “tem necessidade de afirmação” até gente inconformada e jurando que os homens não são esses bichos horrendos que dizem que a autora pregou.

10. Os 10 maiores sambas de amor (ou apenas músicas para você sentir o chifre sendo arrancado com um alicate), por Fred Fagundes (15,632)

Link YouTube | Baden Powell fazendo seu "Samba Triste"

O samba, essa alta e evoluída produção humana, é a festa de encontrar alegria na tristeza. Cantam os sambistas para chorar o que não conseguiram declarar. Desilusões, dores, falhas. Nada é mais sincero e se mistura com tanta facilidade que a composição de uma poesia com o ritmo de um tamborim. Gostamos tanto porque machuca, mesmo fazendo tão bem.
É por isso que ouvimos. E de novo, e de novo e de novo: pra tirar o espinho e descobrir que uma velha esperança não precisa doer. Não precisa, mas vai.

Recomendação do editor: Manual das pequenas negociações, por Eduardo Amuri (15,044)

Este texto do Eduardo Amuri estava na lista da primeira vez que olhamos, mas o mundo é assim, cheio de reviravoltas e ele acabou saindo nos minutos finais do páreo. Porém, a inegável utilidade pública deste post pede mais uma olhada. Quem ainda não leu, por favor, não se permita perder.

Negociar é, antes de tudo, um exercício de empatia. É muito difícil sacar argumentos convincentes sem antes enxergar a situação com os olhos do outro. É preciso ler o cenário, se deixar levar até um certo ponto, até que uma conexão favorável tenha sido criada, para então assumir o controle e conduzir. Sem realmente deixar que o outro se mova, não conseguimos ganhar confiança. Qualquer argumento soa forçado.
Quando um vendedor diz “Faria tal preço, mas só para você”, ele está tentando criar um sentimento de exclusividade. Na verdade, o que fica implícito com esse comentário aparentemente gentil é que é o vendedor quem define para quem ele fará o preço especial, como se a negociação estivesse inteira na mão dele.

Assine nosso canal no Youtube

Continuamos trabalhando bastante para melhorar o nosso canal no Youtube. Esse mês tivemos um PdH Sessions com o Bardo & o Banjo e a gravação de uma puta receita de hambúrguer com o Paulo Yoller do Meats.

Ainda estamos arrumando a casa, estamos aprendendo e temos muito o que fazer por ali. Mas o conteúdo é honesto, é de coração.

Link Youtube

Link Youtube


publicado em 07 de Maio de 2013, 12:48
Avatar01

Luciano Ribeiro

Cantor, guitarrista, compositor e editor do PapodeHomem nas horas vagas. Você pode ouvir no Spotify. Também escreve no Medium e em seu blog pessoal. Quer ser seu amigo no Instagram.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura