Estamos procurando um autor para escrever sobre saúde do homem no PdH! Topa? Mais informações aqui.

Homens possíveis | Ajude o PdH a construir a lista de melhores do ano em 2016

Colabore com nosso relatório de nomes que tornaram 2016 um ano de masculinidades menos tóxicas

Quem bombou mais? Quem fez mais dinheiro? Qual a personalidade masculina foi a mais polêmica em 2016? Estamos acostumados a ver listas de final de ano em que pululam nomes já conhecidos e figurinhas tarimbadas por aí. Mas será mesmo que precisamos de tantos catálogos premiando comportamentos muitas vezes nocivos? 

Prestes a completar 10 anos, o PapodeHomem crê que é tempo de direcionar os holofotes para outras masculinidades possíveis, não tóxicas. 

Homens reais, mais pés no chão, que estão fazendo coisas interessantes e que mostram que é possível construir ideias, projetos e pessoas de uma maneira mais benéfica. E pra isso gostaríamos que você — que nos acompanha e faz parte de nossa rede — nos ajude a criar, coletivamente, um mosaico masculino menos preocupado em prêmios ou linha de chegada e mais preocupado em propor, dialogar, inspirar e realizar. 

Queremos ouvir sobre pessoas de destaque ou aquelas que fizeram coisas lindas — ainda que silenciosas ou pouco reconhecidas — em áreas como artes, ativismo, ciência, educação, empreendedorismo, gênero, mundo interno/desenvolvimento pessoal e até a combalida política

Para participar, sugira o nome de um ou mais Homens Possíveis no formulário a seguir, contando quem é ele e por que é um homem que te inspira a ser uma pessoa melhor. A lista completa será divulgada no encontro "Homens possíveis: quebrando as prisões masculinas", no dia 17 de dezembro. 

 


publicado em 12 de Dezembro de 2016, 17:22
Ismael veredas corte jpeg

Ismael dos Anjos

Ismael dos Anjos é mineiro, jornalista e fotógrafo. Acredita que uma boa história, não importa o formato escolhido, tem o poder de fomentar diálogos, humanizar, provocar empatia, educar, inspirar e fazer das pessoas protagonistas de suas próprias narrativas. Siga-o no Instagram.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura