Estamos procurando um autor para escrever sobre saúde do homem no PdH! Topa? Mais informações aqui.

"Homens, se exercitar em excesso está botando um amortecedor em suas vidas sexuais?"

É essa a pergunta que um estudo quer fazer, em matéria do The New York Times

Homens que se exercitam em demasia podem ter uma menor libido em comparação com quem se exercita moderadamente, de acordo com um primeiro estudo que pretende aprofundar cientificamente a relação entre exercícios masculinos e suas vidas sexuais.

Traduzindo, a grosso modo, homens que possuem aquele apetite atlético e esportivo de peladar e nadar pela manhã, puxar um ferro ou dois na parte da tarde, dar uma corrida após o trabalho, e puxar umas flexões no chão do escritório quando tá meio entediante, podem ter menos vontade de fazer sexo do que caras que jogam sua bolinha uma vez na semana, que dão seu piquezinho no começo da noite, que batem seus novecentos metros na natação de terça e quinta.

Até agora, de acordo com a matéria do The New York Times, os estudos focados em ligar desempenhos esportivos com desejos sexuais foram feitos apenas com mulheres atletas, como maratonistas femininas que fazem treinos intensos por muitas horas na semana e acabam por desenvolver disfunções menstruais. Já com homens, muito pouco se é conhecido sobre os efeitos dos exercícios pesados com a libido e fertilidade.

Então, com esse estudo publicado na Medicine & Science in Sports & Exercise, pesquisadores da Universidade da Carolina do Norte começaram a desenvolver um questionário baseado em pesquisas psicológicas anteriores sobre o comportamento sexual dos homens, que perguntavam, por exemplo, quantas vezes eles pensavam e praticavam sexo.

Os cientistas também criaram um questionário separado com perguntas detalhadas sobre hábitos de exercícios, incluindo quantas vezes e com qual intensidade os homens se exercitavam a cada semana.

Quase 1.100 homens, adultos fisicamente ativos, responderam o questionário por completo. A maioria eram atletas experientes que haviam participado há anos em treinamentos e competições.

Daí as conclusões. Os homens cujas rotinas de exercício eram moderadas ou leves em intensidade e duração eram muito mais propensos a relatar libidos moderadas ou altas do que os homens cujos exercícios eram especialmente prolongados ou intensos.

Vale lembrar que houve um controle de idade, já que homens mais velhos tendem a relatar menos interesse em sexo, embora não por margens muito discrepantes.

E daí a pergunta que fica é da mente: com ela mais ocupada ou focada nos exercícios, seria de menor interesse focar a atenção para o sexo tantas vezes? Seria bem interessante fazer o mesmo estudo, ou até em análises mais profundas, com grandes executivos focados muito em seus trabalhos, ou então com camponeses que precisam, ao menos em determinadas épocas, voltarem o eixo de sua atenção quase que exclusivamente para os trabalhos da terra.

O que não deixa de ser uma pergunta muito da pertinente. Até onde seus exercícios físicos estão te fazendo bem? 

Leituras sobre corpo são


publicado em 23 de Fevereiro de 2017, 15:10
Logo pdh png

Redação PdH

Mantemos nosso radar ligado para trazer a você notícias, conversas e ponderações que valham o seu tempo. Para mergulhar na toca do coelho e conhecer a visão editorial do PdH, venha por aqui.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura