Estamos procurando um autor para escrever sobre saúde do homem no PdH! Topa? Mais informações aqui.

Macete de pai: uma dica para o choro na loja de brinquedos [E convite! Encontro Paizinho, Vírgula!]

Entender como funciona a frustração de uma criança e lidar da melhor maneira para sair dessa complicação

Se você tem filhos, provavelmente sente uma pequena crise de ansiedade toda vez que vai entrar em uma loja de brinquedos, né? Eu sei, todos sentimos aquele medo, pensando "será que ele vai chorar hoje para levar um brinquedo ou será que vai dar um xilique?".

Esse medo é bem real, e boa parte porque nós simplesmente não sabemos o que fazer, ou pelo menos, temos toda uma sociedade esperando que tomemos algum tipo de atitude quando há uma criança chorando em uma loja de brinquedos.

"Oh, não..."

Essa expectativa da sociedade gera uma pressão danada em nós e, muitas vezes, acabamos fazendo duas coisas que sempre gera arrependimento da nossa parte: ou compramos o tal brinquedo para calar os nossos filhos, ou gritamos e ameaçamos os nossos filhos para acabar com aquele choro imediatamente.

Nós costumamos pensar que só existem essas duas maneiras para lidar com essa situação, mas e se eu dissesse a você que existem outras maneiras? Você pensaria que é balela, né? Mas não é!

O primeiro passo para mudar essas situações é entender o que acontece com a criança. Ela tem uma crise de choro, na maior parte das vezes, porque está com dificuldades para lidar com a frustração que sente por não levar o brinquedo para casa. E a frustração é grande, porque dentro da cabecinha dela, ela já tinha criado toda uma expectativa de que poderia levar aquele brinquedo para casa.

Então, a dica para evitar esse tipo de problema, por mais que nada seja garantido quando se trata de criar filhos, é combinar previamente com eles. Por exemplo, antes de entrar na loja de brinquedos, você poderia falar com o seu filho: "olha, vamos entrar na loja agora, podemos olhar e brincar, mas hoje não vamos levar nada, tá?"

Esse tipo de aviso prévio ajuda a criança a não criar expectativas sobre o que vai levar da loja de brinquedos.

Agora, é sempre importante ressaltar que qualquer mudança na condução de situações com o seu filho pode levar a grandes resistências. Se, por exemplo, você nunca fez esse tipo de combinado com o seu filho e sempre comprou tudo o que ele quis, ele ainda trará resistência para essa mudança de comportamento. E isso não significa que a coisa toda não está funcionando, mas sim que você precisa ainda de um tempo de adaptação para todo mundo.

Encontro Paizinho, Vírgula!

Esse tipo de visão sobre as crianças envolve um olhar muito respeitoso e empático, algo que é muito praticado na criação com apego e disciplina positiva, temas que eu abordo constantemente nos meus textos, vídeos e podcasts no meu site Paizinho, Vírgula! Passe por lá para conhecer mais sobre esses temas!

E, se você estiver em São Paulo, eu estarei na Casa de Viver no dia 26/08/2017 para dois grandes encontros. Na parte da manhã, falarei sobre disciplina positiva e, na parte da tarde, sobre criação com apego.

Serão duas rodas de conversa recheada de trocas poderosas e ferramentas extremamente úteis para criarmos os nossos filhos com limite, mas também com respeito e empatia.

Se você estiver em São Paulo, não deixe de ir, serão dois encontros maravilhosos!


publicado em 24 de Agosto de 2017, 15:40
Img 1125 jpg

Thiago Queiroz

Thiago Queiroz é marido, pai e engenheiro. É o criador do site Paizinho, Vírgula!, um dos poucos lugares atuais mantidos por um pai, em busca de uma forma mais amorosa e conectada de criar os filhos.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura