Estamos procurando um autor para escrever sobre saúde do homem no PdH! Topa? Mais informações aqui.

Mais um suicida

"Hello, stranger.
Hoje, na manhã de 16 de agosto, resolvi imitar os filmes como uma última realização. Peguei esta carta, coloquei na garrafa (que você encontrou) e joguei no mar; sou roteirista e, pela primeira e última vez, trouxe o clichê da fantasia para o mundo real -- o contrário do que costumo fazer.
A verdade é que tenho uma confissão a realizar antes da minha partida -- não por completo, pois não conseguiria: na última semana, fiz algo de que não me orgulho e não tive coragem de dizer a absolutamente ninguém (até agora).
Foi na noite da segunda-feira. Descobri algo terrível, a mais cruel traição de que tenho conhecimento. Depois de horas tentando decidir o que fazer, a ira tomou conta de mim e só pude responder pelos meus atos depois que já não havia volta; sou ciente de que nem a mais abominável situação merecia tamanha monstruosidade, por isso não consigo mais dormir em paz e nem terminar uma refeição sem ficar completamente enjoado.
Estou arrependido.
Pensei em ir até a delegacia e me entregar mas, então, me dei conta de que é impossível levar adiante essa culpa, independente de onde eu passe o resto dos meus dias. Prefiro tirar minha própria vida do que carregar um peso que só me trará dor.
Você, caro desconhecido, foi meu último amigo antes de partir -- talvez o único que já tive em toda a minha vida. O destino nos uniu e me deu a chance de falar a verdade a alguém, mesmo que tarde demais. Obrigado.
Obs: deixo aqui um agradecimento especial para Barbara Lewis, por inspirar um ótimo início para o meu fim (a frase da primeira linha veio de uma música dela).
S.".
1296843380

-- Mais nada? Só tá escrito isso?

-- Só.

-- Onde você pegou esse papel, moleque?

-- Achei daquele lado da praia, dentro da garrafa.

-- Deve ser pra essa tal de Barbara Lévis. Joga essa merda fora e vem passar mais protetor, senão você não volta mais pra água hoje.


publicado em 08 de Fevereiro de 2014, 08:00
16f2d7f0a129cd419c12c51a44c25b04?s=130

Helena Perdiz

Redatora publicitária, cronista amadora, campeã brasileira de videogame na categoria "Prêmios que Ela Mesma Inventa" e primeira colocada no ranking mundial de "Odeia se Descrever".


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura