A conversa sobre paternidade é uma das mais importantes do nosso tempo. Venha para o PAI: Os desafios da paternidade atual, discutir e colocar em prática o tema.
Compre já o seu ingresso!

Mantenha um registro diário – 15 práticas para abrir 2016 com o pé direito

Um diário pode ser uma prática vantajosa para começar em 2016 e colher os frutos ao longo de todos os anos que ainda virão

No cansaço de fim de ano tem sempre um bocado de clima de renovação. A vontade de ser uma pessoa melhor no próximo ciclo vem junto da listinha de mudanças. Aqui no PapodeHomem, decidimos convidar diferentes autores pra escrever uma lista de 15 práticas pra começar 2016 com o pé direito - um texto por dia com uma sugestão de mudança pra uma vida mais plena no próximo ano.

* * *

É muito comum sentirmos que os anos se perderam com o tempo. Olhamos para trás e notamos que nossos dias vão se tornando grandes borrões, restando apenas uma coletânea de melhores e piores momentos, mas sem uma linha cronológica muito consistente. 

Registrar eventos para consultas futuras é sem dúvida um grande diferencial evolutivo para os humanos. Poder transmitir um pensamento ao longo de eras, evitando que os próximos que chegarem precisem reaprender tudo do zero, é o que nos permitiu promover os saltos tecnológicos que nos beneficiam tanto.

Este site disponibiliza alguns dos manuscritos e diários deixadas por Albert Einstein.

A mesma ideia funciona quando aplicamos essa prática aos nossos próprios registros. Garantimos que nossas ideias não se perderão ao longo dos anos e que não precisaremos passar pelo processo todo novamente.

O hábito de escrever, por si só, já nos ajuda a formular melhor as ideias. Precisamos organizar nossos pensamentos para nos expressar de forma lógica. É muito comum começar a escrever com uma ideia e ao longo do texto entender que seu pensamento estava distorcido, enganado.

Diários funcionam muito bem como forma de registrar nossas falhas e acertos. Podemos acompanhar e relembrar coisas que erramos no passado, transmitindo uma experiência anterior para um aprendizado em outro momento, no futuro. Também serve para nos conectar melhor com nossos sucessos, entendendo o que funcionou, como foi feito e o que poderia ter sido ainda melhor.

Não tenha medo da página em branco. Simplesmente pegue a caneta e comece.

Escrever um diário apresenta inúmeros outros benefícios, que vão do aumento da criatividade até melhora na capacidade de resolver problemas. Um site gringo inclusive compilou 100 benefícios desse hábito.

Para criar seu diário

1. Papel ou Eletrônico: Eu particularmente prefiro escrever no papel. Além de treinar minha escrita manual, me permite uma maior liberdade criativa. Posso desenhar, fazer gráficos e organizar as informações como minha criatividade mandar. Uso um caderninho um pouco mais rebuscado para meus diários, reflete um pouco do valor que dou às ideias que estão ali.

Em meio digital pode ser simplesmente um documento de texto salvo no seu computador, o bloco de notas do seu celular ou até um blog. Cada meio funciona diferente para cada um. O importante é ser capaz de rever o que for escrito e escrever frequentemente.

Para smartphones tenho usado o aplicativo Paper 53. Quando penso algo e quero escrever na hora, sem acesso ao papel, uso o aplicativo e depois transfiro para o papel.

2. Seja o mais livre possível: Não se prenda muito à formalismos. Pode escrever sentenças curtas, ou textos longos. Desenhe, faça códigos visuais, esboços, copie músicas, frases importantes de algum livro, ou o que melhor te conectar com aquele momento está valendo. Quanto mais livre, mais fácil de usar todo dia.

3. Seja honesto: É importante que você não tente construir um personagem para você mesmo. As experiências e reflexões devem ser as mais cruas possíveis, tentando se livrar ao máximo das coisas que você tem medo ou vergonha de falar para alguém. É um espaço seu e a precisão do que está sendo escrito ali conta bastante. 

4. A beleza está nos detalhes: Abuse dos detalhes. Não apenas a honestidade conta bastante, como o grau de descrição pode ser bastante útil. Relate os eventos com começo meio e fim, quem são as pessoas envolvidas, como se sente, o que acha que poderia ter feito, o que se arrepende de não ter feito. Construa suas próprias narrativas sempre que possível. Lembre-se que agora pode parecer bobeira, mas daqui a três anos quando você reler, todo contexto se tornará bastante relevante.

Assim, espero que você consiga implementar essa prática em 2016 e passe a colher os benefícios dela em 2017, 2018, 2019... Enfim, é uma sugestão pra vida.

Compartilhe conosco nos comentários suas experiência, se já tem algum hábito parecido e nos ajude a crescer.


publicado em 24 de Dezembro de 2015, 00:05
12596172 10153389055960906 1551523976 n

Alberto Brandão

É analista de sistemas, estudante de física e escritor colunista do Papo de Homem. Escreve sobre tudo o que acha interessante no Mnenyie, e também produz uma newsletter semanal, a Caos (Con)textual, com textos exclusivos e curadoria de conteúdo. Ficaria honrado em ser seu amigo no Facebook e conversar com você por email.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura