Me senti longe de tudo, mas não falei pra ninguém | Caixa-preta #20

Conversamos com o Jader Pires, editor da casa. Ele foi pro Japão buscando viver um sonho, mas nunca se sentiu tão sozinho.

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Selo dorel jpg
  • Vivara130x50 jpg


Se você é um leitor habitual do PapodeHomem, conhece o Jader. Editor da casa há anos, ele é o último entrevistado do Caixa-Preta, nossa série de relatos. Por quê? Pois ele foi morar por um período no Japão há poucos meses, e se você acha que ele estava realizado pela oportunidade única, saiba de antemão que não foi bem como ele imaginava.

"Passei dois meses em Tóquio, no Japão. Era pra eu viver o sonho, mas não foi bem assim. Deu problema. Fiquei mal. Acabei voltando antes do que eu imaginava."

O Jader se encontrou em um limbo, como descreve em determinado momento do vídeo, em uma precisa analogia. Desconectado da cultura, analfabeto da língua, longe de todos que prezava. Sozinho. Se deparou vezes e vezes com a linha limítrofe da solitude e da solidão, conhecendo bem as duas. 

A experiência positiva se tornou incômoda. O caminhar pelas ruas de Tóquio, para uns momento de deleite, se transformaram em reflexo da tristeza. A rotina se tornou estorvante, o desejo era só um: voltar. Quando olhava pra fora, tudo estava bem. Quando se virava pra dentro, a confusão dominava.

E o pensamento que deveria reprimir tudo também. Aguentar. Sem pedir ajudar.

"Acho que a parte mais irônica foi essa, de eu trabalhar, ser o editor do PapodeHomem e falar de masculinidades tóxicas o tempo todo, ou de como a gente não precisa se prender a estereótipos masculinos e acabou que aconteceu exatamente comigo um desses estereótipos. Foi maluco. Porque a primeira coisa que me veio na cabeça foi essa: não, eu não posso me abrir com alguém. Ou, enfim, me deixar levar por essa tristeza e frustração. Porque homens aguentam. Porque eu tenho que ser durão."

Passado o turbilhão, já em terras familiares, o Jader se abriu. Encontrou refúgio e amparo em ombros amigos, que já haviam passado pelas mesmas experiências. Da mesma maneira, calados. E descobriu que não precisa ser assim. 

Porque às vezes a gente não aguenta sozinho. Precisa de ajuda. E tá tudo bem. 

* * *
Para ler mais:

Por que temos tanto problema em ficar sozinhos?, escrito pela Sara Maitland

Síndrome do "eu-aguento-tudo"!, escrito pelo Fred Mattos

Cultive relações de parceria, escrito pelo Guilherme Valadares

O que ninguém conta sobre mudar de cidade, escrito pelo Alberto Brandão

Os textos do Jader no PapodeHomem

Você conhece homens com histórias que poderiam virar relatos do Caixa Preta? Conta pra gente!

Não é de hoje que o PdH quer construir uma relação aberta e de colaboração com a comunidade. Pensando nisso, e buscando aumentar o alcance de relatos, nós queremos sua ajuda nesse projeto. Com certeza você convive com diversos homens que carregam vivências construtivas. Não seria incrível se essas histórias pudessem ser compartilhadas com mais pessoas?

Caso você tenha alguma sugestão para a nossa série do Youtube, deixa nesse formulário. É bem simples.

A casa agradece. 

Mecenas: Natura Homem

Natura Homem acredita que existem tantas maneiras de exercer as masculinidades quanto o número de homens que existem no mundo. Sem modelos a serem seguidos, sem colocar ainda mais pressão sobre os nossos ombros.

As nossas verdades, os nossos ritmos, os nossos jeitos de ser e estar no mundo. Seja homem? Seja você. Por inteiro. Natura Homem celebra todas as maneiras de ser homem.


publicado em 20 de Julho de 2017, 13:54
000b0026

Bruno Pinho

Estagiário do PapodeHomem e estudante de jornalismo.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: