Menos de vinte: comida boa para quem quer pagar pouco

Comer barato não é tão difícil. Aliás, é até bastante fácil. Comer bem já é outra coisa. Às vezes você carrega o embrião da hospitalidade, do carinho e do cuidado necessários para receber e alimentar bem seus amigos, mas falta a habilidade.

Algumas pessoas até fazem um hobby de descobrir os bons restaurantes que carregam aquela combinação ideal entre preço e gostosura. Há também o outro lado dessa moeda gastronômica, o da prisão de não saber fazer qualquer coisa na cozinha sem queimar panelas e ofender o paladar de quem está por perto.

A desculpa acaba sendo justamente a falta de tempo e o esforço que seria necessário para adquirir a técnica e, finalmente, considerar trazer visitas para o seu lar sem pedir uma pizza.

O chef Ricardo Viola está aqui para provar que você não precisa de tanto quanto pode parecer para mandar bem. Nem de esforço e nem de dinheiro.

capa

Ele é o anfitrião e apresentador no canal Menos de Vinte no Youtube. Um repositório de receitas rápidas, baratas, bonitas e gostosas para você praticar em casa, comer bem e economizar uma grana. A maioria por bem menos do que vinte reais.

A própria história por trás da figura de Ricardo Viola já é muito boa.

Com pinta de integrante de banda de hardcore, o chef de cozinha de 38 anos tem conquistado fãs com a sua maneira descontraída de falar de gastronomia. Figura presente na cena underground paulista desde os anos 90, Viola foi músico, roadie, vendedor de merchandising, lojista, dono de uma distribuidora de selos independentes e cuspidor de fogo (!!). Ao resolver "tomar jeito na vida" e deixar de ser "roqueiro vagabundo", conforme suas próprias palavras, escolheu a Gastronomia pra seguir como rumo. Trabalhou em restaurantes renomados, cozinhas terceirizadas e prestou serviços até para o Google, onde preparava o cardápio dos funcionários da empresa.
Foi na poderosa empresa de internet, onde entrou em contato com gente do mundo inteiro, e com a crise norte-americana de 2009 estourando, que teve a ideia de fazer comida de rua, que é muito comum no exterior. Por afinidade, escolheu a culinária do México e criou o Tchicano Ai Ai Ai - Comida Mexicana de Rua. Começou com uma barraca em Santo André e depois de um tempo conseguiu um disputado espaço na Feira de Artesanato do Trianon MASP, na Avenida Paulista, que rola aos domingos.
Hoje, ao lo lado do seu braço direito, o filho Ian, de 16 anos, faz sucesso com os seus tacos e burritos de preço acessível (em média R$ 5,00) em suas três barracas (duas em Santo André e a da Paulista).

É, acabou a desculpa. Hoje eu vou pra cozinha.

Link Youtube

Link Youtube

Link Youtube

Link Youtube

Link Youtube

Link Youtube

Link Youtube


publicado em 12 de Julho de 2013, 08:52
Avatar01

Luciano Ribeiro

Cantor, guitarrista, compositor e editor do PapodeHomem nas horas vagas. Você pode ouvir no Spotify. Também escreve no Medium e em seu blog pessoal. Quer ser seu amigo no Instagram.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura