Estamos procurando um autor para escrever sobre saúde do homem no PdH! Topa? Mais informações aqui.

Morre Steve Jobs

Há uma hora eu estava na academia me concentrando em pegar pesos pra algum exercício idiota. Recebi uma sms do Fred Fagundes:

Morreu Steve Jobs.

Não acreditei. Pateticamente engoli em seco. Me lembrei de quando o Senna morreu, eu tinha 10 anos e chorei como um bezerro desmamado. Dessa vez não, homens não choram, certo? Enquanto ponderava, o Jornal Nacional me confirmou. A notícia era real. O homem se foi.

Dei por encerrada a academia e vim até o QG escrever algo. Contar a admiração sem tamanho que tenho pelas realizações desse filho da puta. A criação da Apple. Sua demissão. O retorno. A Pixar. A iPod-Phone-Pad-revolução. A paixão pela excelência. Deixou um legado sem tamanho a todo nós. Li e assisti tudo que se fez sobre o cara. Não o via como guru ou qualquer outra merda idealizada. Mas Jobs, em certa medida, era um tutor distante, transmitindo lições aqui e ali para cada um dos malucos criadores ao redor do mundo. Eu gostava da ideia de me sentir parte desse clube.

E se esse clube tivesse uma mensagem a ser deixada, poderia ser:

Link Youtube

E a canção para o dia de hoje seria essa:

Link Youtube

Dêem o play e se deliciem com a FANTÁSTICA entrevista dada por ele há 26 anos para a Playboy - traduzida pelo Pedro Burgos.

É isso. Marcha em frente.

Até breve, Jobs.


publicado em 05 de Outubro de 2011, 19:44
File

Guilherme Nascimento Valadares

Editor-chefe do PapodeHomem, co-fundador d'o lugar. Membro do Comitê #ElesporElas, da ONU Mulheres. Professor do programa CEB (Cultivating Emotional Balance). Oferece cursos de equilíbrio emocional e escreve pequenas ficções no Instagram.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura