Estamos procurando um autor para escrever sobre saúde do homem no PdH! Topa? Mais informações aqui.

Mulheres e Motos

A promoção Honda Hornet com as melhores histórias envolvendo motos e mulheres foi um sucesso estrondoso. Tão grande que a divulgação dos 2 vencedores vai ganhar artigo próprio.

Com vocês, as vencedoras...

japa-bike
A comissão julgadora da PapodeHomem decidiu que a cuecada não teve a menor chance diante da concorrência.

História da Ms. A

Francamente, existem coisas que são trabalho de homem, existem outras que são trabalho de mulher.

Pois bem, final de semana, casa de amigos, dia lindo, piscina e churrasco. Mas sem carvão não dá, começou então a briga para saber quem ia comprar, e minha língua de 3 metros se ofereceu. Indo para o mercado de moto, cantando, de shortinhos e blusinha.

Feliz da vida, um puta sol e o farol fica vermelho, parou uma Suzuki GS500 do meu lado, de proprietário muito charmoso, trocamos olhares, um sorrisinho, o farol abriu e ele saiu correndo ( tolinho, nem pegou meu telefone), mas ele tava querendo mostrar a “potência” , entendo, entendo.

Andamos mais um tempo meio juntos, ele um pouco a frente me acompanhando pelo retrovisor, eu passei uma lombada, desviei de um buraco, tava fazendo uma curva e foi quando…

CATAPLOF!

Olhos fechados. Silêncio.

Será que eu morri? Corajosamente abri o olho, e vi minha moto mais à frente vazando gasolina:

-Booooaa, se eu não morri no tombo, vou morrer na explosão!

E como toda desgraça é pouca, caí na frente de uma autorizada da Suzuki, num Sábado ao meio dia. - Qual o problema vocês me perguntam?! O problema é que 90% dos proprietários de Suzuki resolveram fazer uma revisãozinha NAQUELE dia, ou seja, cai com platéia!

Lá estava eu esparramada, atração do dia, causando o maior trânsitoooo, os suzukeiros me olhando, os carros parados, ônibus buzinando, tinha até gente tirando foto! E eu lá, checando pra ver se não faltava um dedo ou costela, sei lá.

Quando olhei pra frente, vi que o moço da motona levou um chão também. Passado o momento do acontecimento emocionante, o pessoal da autorizada veio me ajudar, levantaram a moto, me pegaram no colo, eu que estava no máximo com o joelho raladinho, deixei… “-Tadinha dela com o joelho machucado”, embora eu soubesse que estavam pensando “mulher e loira? De moto dá nisso…”

E fiquei deitada lá no chão da autorizada, pq ninguém me deixava levantar pq podia ser perigoso (diabos! Era só um joelho ralado). Enquanto isso pedi o celular de alguém lá e liguei pra meu casinho, q chamou, chamou, chamou e não atendeu. Depois de um tempo, e com a filhota com um pisca a menos, agradeci a todos e fui embora.

Saldo: até hoje não sei como, causdiquê, motivo, macumba que me fez cair. O asfalto me empurrou, certeza. O boçal da 500 que foi lá na autorizada se recuperar do susto, me contou que ele estava me olhando pelo retrovisor e me viu caindo, por impulso ele freiou, mas o dito tava no meio de uma curva . . .

É, eu fiz essa cara também.

Quando voltei pro churrasco estava a metade da galera, pálidos, podia jurar que vi uma lagrima escorrendo do olho direito do meu casinho, todos foram falar comigo, ficavam me pegando, falando todo mundo junto, eu só entendi “Moto” “tombo” “sem andar”.

Explico: Meu casinho ligou de volta pro número não atendido do celular, que do outro lado o Suzukeiro contou que uma atrapalhada tinta se estatelado no chão e que foi levada pra dentro no colo e que não tinha visto mais nada. E a outra metade de churrasco foi até a tal autorizada procurar a indigente aqui…

Mas agora aprendi, comprar carvão é serviço de homem!

História da Morgana

Ok… sou mulher mas acho que consigo contar uma história que tenha moto e mulher!

Eu tenho uma Honda Falcon 400cc totalmente personalizada. Muito bonita, modéstia a parte.

Moro numa cidade pequena, de interior, ou seja, minha moto é conhecida aqui.

Uma certa vez… andava eu com um grupo de amigos e fui apresentada a uma outra menina que queria “entrar pro grupo”. Tudo bem, conversa vai, conversa vem, todo mundo percebeu que ela era uma baita maria-gasolina e fã de motos. E mais, não parava de puxar o meu saco.

Passou algum tempo e todo mundo percebeu que ela estava dando em cima de mim. Alguns amigos meus queriam até que eu desse corda só pra eles rirem. Mas não fiz isso.

Um belo dia estávamos em um bar a umas duas quadras da onde essa menina morava e ela estava junto. Quando ficou um pouco mais tarde, ela queria ir pra casa e me pediu carona… eu até me surpreendi, pois eram DUAS quadras. Mas ela insistiu e eu aceitei… “Tudo bem, te levo.”

Era só pra ela andar um pouco na carona da minha Falcon, não custa nada, pensei.

Qual a minha surpresa quando chego na frente da casa dela, ela desce da moto, tira o capacete e fica me olhando com aquela carinha de...

“E aí, não vai me dar um beijo?”

dupla-na-motoca
Pra quem não sabe, a carinha é mais ou menos essa.

Eu ia até tirar o capacete pra me despedir dela, mas quando vi ela chegando mais perto com aquele jeitinho, (e acreditem, as intenções eram essas, não teve como ficar mais óbvio) mudei de idéia e deixei ela ali mesmo com um “tchau” meio seco.

A guria que me desculpe, mas eu gosto é de homem! Dar volta na carona da minha moto ainda vai mas mais do que isso não eras nada!

Agooora, claro que eu não resisti, quando voltei pra onde meus amigos estavam contei o que tinha acontecido.

hehehehehehe

Eu podia contar trocentas mil histórias de todos os tombos de moto que eu já tive antes de comprar minha falcon, na minha ybr ou tdm. Mas como quero deixar esses tristes tombos no passado e pediram história com mulher e moto… hehehe

Beijo pra vcs! =)

--

Menção Honrosa: história do Vinicius, MorandoSozinho.net

Certa vez sai pra dar uma volta de carro e encontrei um amigo meu. O apelido dele era “Bruce” por causa da semelhança dele com o ator “Bruce Lee”. Eu estava com meu carro e ele com a moto dele, uma Titan 125, aquelas do tanque quadrado ainda.

Encontramos com duas amigas nossas e fomos tomar vinho em uma rua escura (coisas de quem vive no interior). Porém o clima começou a esquentar e ele saiu do carro com a menina que ele estava dando uns “pegas” e foi lá fora sentar na moto dele enquanto eu ficava dentro do carro com a outra.

Ficamos uns 20 minutos ali dentro do carro conversando. Foi então que eu ouvi um barulho de uma moto caindo no chão.

Levei um susto e comentei com a menina.. será que caiu a moto do Bruce?.

Então eu acendi o farol do carro e vi uma das piores cenas da minha vida, Meu amigo com as calças no joelho e a bunda pra cima tentando levantar a moto que havia caído enquanto ele se apoiava na moto e a menina fazia um bola gato.

Engraçado.. mas só quem tem moto passa por essas situações…

-------------------------

Ms. A e Morgana, enviem um email pra gnv.bhz@gmail.com com o endereço de vocês para receberem os kits Honda Hornet. Vocês fizeram por merecer.

Agradeço a participação de todos que postaram suas histórias. Quem perdeu o tópico deve voltar lá agora e conferir os outros causos, imperdíveis!


publicado em 16 de Maio de 2008, 09:30
File

Guilherme Nascimento Valadares

Editor-chefe do PapodeHomem, co-fundador d'o lugar. Membro do Comitê #ElesporElas, da ONU Mulheres. Professor do programa CEB (Cultivating Emotional Balance). Oferece cursos de equilíbrio emocional e escreve pequenas ficções no Instagram.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura