Como se transforma a paternidade no Brasil? Faltam apenas 5 dias para o PAI: Os desafios da paternidade atual.
Compre já o seu ingresso!

Não dê um passo maior do que a perna – 15 práticas para abrir 2016 com o pé direito

Descubra o prazer de ter tempo para ser livre

No cansaço de fim de ano tem sempre um bocado de clima de renovação. A vontade de ser uma pessoa melhor no próximo ciclo vem junto da listinha de mudanças. Aqui no PapodeHomem, decidimos convidar diferentes autores pra escrever uma lista de 15 práticas pra começar 2016 com o pé direito - um texto por dia com uma sugestão de mudança pra uma vida mais plena no próximo ano.

* * *

A gente começa o ano cheio de energia, expectativas, metas, esperança. A gente chega no trabalho e limpa os emails, organiza as planilhas, traça cronogramas e termina invariavelmente não conseguindo cumprir tudo que planejou.

O segredo de baixar as expectativas para não ter frustrações desnecessárias já é conhecido por todos, até por isso, esse texto não trata disso. Minha sugestão de prática para 2016 se chama “não dê um passo maior do que a perna”, mas também poderia se chamar “reserve um tempo livre.”

Eu cometi o mesmo erro em 2013, 2014, 2015… Não quero cometer novamente em 2016. E não quero que você cometa também. Em todos esses anos, me comprometi com projetos paralelos que ocupavam praticamente 90% do meu tempo. De manhã, faculdade. De tarde, estágio. De noite, o dia estava só começando.

Sempre antes de aceitar cada novo projeto, o mesmo raciocínio: se eu sair mais cedo aqui, faltar naquela aula ali, dormir menos nesse dia ou conseguir fazer as duas coisas ao mesmo tempo, dá. E a recompensa no final fará todo sacrifício valer a pena.

Se você tem esse desejo insaciável de aceitar propostas desafiadoras. Se você tem a inquietação de não conseguir ficar mais do que alguns meses fazendo a mesma coisa. Se você parece sempre inconformado com o fato de não ter algo planejado para fazer naquele minuto, acenda o pisca alerta e não faça isso de novo em 2016.

Muitas vezes eu me peguei pensando e ouvindo dos outros “você é jovem. Essa é a única chance na vida que vai ter de fazer isso.” Na grande maioria das vezes, isso era mesmo verdade. Agarrei algumas oportunidades de fazer coisas que eu só poderia fazer com meus vinte e pouco anos. Sei que vou me orgulhar delas depois. Mas cada vez que pensava em “essa é minha única chance de fazer isso”, esquecia de pensar nas milhares de outras coisas que eu também poderia fazer agora e só agora, mas não estou fazendo porque fiquei ocupado demais antes.

Cheguei a conclusão de que nós, humanos, precisamos de uma certa dose de disciplina mas, não importa o quanto tentemos, não somos máquinas e não funcionamos como elas.

Ok, pode parecer uma conclusão óbvia pra você. Mas quando você se pega planejando tudo com antecedência, tentando controlar até o que não está ao seu alcance, planejando a quantidade de músicas que você poderia ouvir por semana (como eu fiz), você percebe que não é bem assim que a banda toca. E que saber disso, é diferente de saber executar isso.

Eu espero ter aprendido em 2015 que a beleza da vida é ser imprevisível. A beleza dos humanos é ser errante.

Portanto, por mais que você tenha feito muitos planos para 2016, que se sinta plenamente revigorado e que sinta que chegou a vez de cumprir aquela meta atrasada há dois anos, vá com calma.

Você vai saber muito bem como ocupar "todo esse tempo livre". Eu garanto.

Reserve um tempo livre. Considerável. Deixe que ele seja ocupado pelos imprevistos. Seja ficar mais tempo com seu filho, jogar vídeo game ou levar seu parceiro para jantar fora no meio da semana. Seja encontrar um velho amigo e passar horas conversando sobre a vida, reassistir aquele filme que você gosta ou ligar pra sua mãe e perguntar como ela está, de verdade.

Seja livre. Dê margem para que a vida aja livremente sobre você e descubra coisas maravilhosas. Coisas que você não descobriria se estivesse ocupado. Coisas que eu gostaria de ter feito, mas não estava sendo livre.

Assim eu espero que você, como eu, descubra que as coisas que realmente valem a pena são aquelas que dão alegria durante o processo e não só depois de cumpridas ou entregues. Celebre o fato de não ter nada pra fazer.

Tudo isso não significa que você não vai ter que bater a meta de vendas do mês. Não vai ter que entregar o relatório no dia que seu chefe mandou ou que vai aparecer uma concorrência de última hora que vai exigir que você vire duas ou três noites seguidas. Lembre-se: não tente controlar o que não está ao seu alcance. Isso só significa que, no que depender de você, menos será mais e que no fim do ano sua felicidade não será medida pela quantidade de coisas que você conseguiu realizar, mas pela sensação que predominou em você durante os 366 dias.

Sim, é ano bissexto.


publicado em 06 de Janeiro de 2016, 00:05
Breno franca jpg

Breno França

Editor do PapodeHomem, é formado em jornalismo pela ECA-USP onde administrou a Jornalismo Júnior, organizou campeonatos da ECAtlética e presidiu o JUCA. Siga ele no Facebook e comente Brenão.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura