Estamos procurando um autor para escrever sobre saúde do homem no PdH! Topa? Mais informações aqui.

O discurso completo do "be water, my friend" e o mais importante que Bruce Lee disse

A famosa citação vem de um monólogo maior e a parte cortada da famosa afirmação é ainda mais interessante e importante

A frase ficou famosa para cacete. Ser água, mutável, não reagir a situações. Há muita sabedoria na fala, a empolgação do Bruce Lee dá ainda mais vida à ela e sede a quem ouve ou assiste ao vídeo da entrevista em que ele diz "be water, my friend". 

Seja água, amigo.

A frase original foi dita pelo mesmo Bruce Lee, mas interpretando Li Tsung, um traficante de antiguidades que apareceu em quatro episódios da série americana Longstreet, uma trama investigativa que passou no canal ABC entre 1971 e 1972. Nela, Mike Longstreet fica cego e perde sua esposa após uma explosão. Decidido a investigar o que aconteceu, ele passa a aprender técnicas de artes marciais com Li Tsung. 

Disso, vem a conversa:

"Don’t make a plan of fighting.That is a very good way to lose your teeth.
[...]
If you try to remember you will lose! Empty your mind. Be formless, shapeless, like water. Put water into a cup, it becomes the cup. Put water into a teapot, it becomes the teapot. Water can flow or creep or drip or crash. 
Be water, my friend."

Todos conhecem a tradução dessa parte. Mas na série, a conversa que segue após a célebre afirmação é ainda mais interessante:

Like everyone else you want to learn the way to win, but never to accept the way to lose — to accept defeat. To learn to die is to be liberated from it. So when tomorrow comes you must free your ambitious mind and learn the art of dying!

O corte famoso fala sobre adaptação para a vitória, é algo que empolga e que é de grande utilidade, mas facilmente causa distração. Ora, legal, vou ser água. Mas como?

Se vira, my friend

Um baita ensinamento que esvai pelos dedos e cai em uma propaganda de cerveja. Mas o que vem depois, esse sim, bota a pulga atrás da orelha, aquela coçada no membro amputado, aquele comichão. 

Em tradução livre: 

"Como todo mundo, você procura aprender como vencer, mas nunca como perder — como aceitar a derrota. Aprender a morrer é se libertar da morte. Então, quando amanhã chegar, você precisa se livrar da sua mente ambiciosa e aprender a arte da morte."

Agora sim. Agora estamos falando algo. Aprender a ser água e aprender a ser derrotado, a não buscar vitória como caminho único. Lidar com a morte. Lembrar da morte.

Então, se você pensa em ser como água, lembre-se que ela também pode ser bloqueada e represada e maltratada, evaporada e faltar a beça.


publicado em 05 de Fevereiro de 2015, 09:00
13350456 1045223532179521 7682935491994185264 o

Jader Pires

É escritor e colunista do Papo de Homem. Escreve, a cada quinze dias, a coluna Do Amor. Tem dois livros publicados, o livro Do Amor e o Ela Prefere as Uvas Verdes, além de escrever histórias de verdade no Cartas de Amor, em que ele escreve um conto exclusivo pra você.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura