Estamos procurando um autor para escrever sobre saúde do homem no PdH! Topa? Mais informações aqui.

O fim do exame de toque?

Um novo teste urinário parece ser a forma mais eficaz de diagnóstico do câncer de próstata. Será esse o fim do temido exame de toque?

Quem aqui nunca fez piada sobre o exame de toque, ou até mesmo zombou daquele colega mais velho que faltou um dia no trabalho para ir ao médico?

Pois é, cambada, para o bem ou para o mal, a verdade é que o exame de próstata como conhecemos pode estar com os dias contados.

A edição de hoje do Telegraph traz uma matéria que conta como um simples exame de urina, ainda na fase de desenvolvimento, pode ser muito mais apurado do que o exame de toque e detectar o câncer de próstata ainda em estágios iniciais.

Cenas que tendem a ser cada vez mais raras

O novo teste aponta a existência da proteína EN2, que, em homens adultos, é produzida exclusivamente por células de câncer de próstata. É, na real, uma descoberta que pode revolucionar a forma de detecção da doença.

Atualmente, o câncer pode ser diagnosticado apenas por meio do temido toque retal e pela medi­ção do nível de uma proteína chamada PSA no organismo. Entretanto, ainda não existem formas de detecção precoce da doença, o que a torna muito mais perigosa e o tratamento sempre mais complexo.

O câncer de próstata é o mais comum em homens. Segundo o Ministério da Saúde e o Instituto Nacional do Câncer, em 2010, mais de 50 mil brasileiros foram diagnosticados com a doença apenas no ano passado.

De acordo com os cientistas da Universidade de Surrey, o novo exame funcionará praticamente como um simples teste de gravidez de farmácia. Deve chegar aos consultórios médicos em 18 meses.

E aí, trintão, respirou aliviado agora?


publicado em 02 de Março de 2011, 08:36
E4c14111fbfb81a75b22984e3520ada9?s=130

Thiago Rocha Kiwi

É nosso correspondente em Londres. Jornalista, nascido e criado na selva paulistana, gosta das oportunidades desafiadoras. Apaixonado por informação e conhecimento, enxerga o trabalho como uma forma de evolução e a internet como revolução. No Twitter, @thiagokiwi.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura