Como se transforma a paternidade no Brasil? Faltam apenas 4 dias para o PAI: Os desafios da paternidade atual.
Compre já o seu ingresso!

O Jabuti branco de Chico Buarque

É engraçado como certas polêmicas surgem do éter, do nada. Muitos debates que hoje ocupam nossas conversas não passam de artificialidades distrativas ou fofocas imaginosas. E quanto mais descoladas da realidade, melhor.

O frenesi do momento é o prêmio Jabuti que Chico Buarque arrematou pelo seu Leite Derramado ter sido considerado a Melhor Ficção do Ano. A comoção adversa foi tanta, que criaram um abaixo-assinado para que o artista devolvesse o prêmio.

Chico com a semente da discórdia. | Crédito: Folhapress

Leitores de Reinaldo Azevedo, blogueiro político e colunista da Veja, encabeçados por Anderson Santana tiveram a iniciativa da petição. Diz Santana, em mensagem a Azevedo:

"Realmente, criei a petição com um espírito de galhofa, ‘meio que’ para ressaltar o ridículo da coisa, com uma dose de humor. Já em várias oportunidades postei comentários ressaltando que o objetivo era mais marcar uma posição, promover uma discussão sobre a politização do processo de escolha, que nada mais é do que um exemplo entre tantos no mundo de hoje, especialmente no mundo das artes e/ou celebridades.
Qualquer crônica hoje, seja literária, musical, de cinema, enfim, qualquer uma, padece da Síndrome do Faustão, programa em que todos os entrevistados são “o melhor do mundo, grande sujeito, exemplo de bom caráter, querido entre os colegas do meio etc”. Lá nunca se entrevista alguém com qualidades e defeitos, com dúvidas ou inseguranças, isto é, nenhum ser humano normal. Apenas gênios incontroversos, expoentes de sua arte, mesmo quando estreantes. O Edney Silvestre, que parece dar lições de cavalheirismo, mas se reconhece como estreante, lá seria comparado a um Cervantes, no mínimo. Mas estou divagando."

O grande drama se desenvolve a partir de uma incongruência lógica. Leite Derramado supostamente não teria como vencer a categoria principal de melhor ficção, uma vez que logrou o segundo lugar em uma categoria secundária. Ao disputar com Se eu fechar os olhos, do estreante jornalista Edney Silvestre, Leite Derramado ficou com a segunda posição na categoria "Romance". É como se o Goiás vencesse a Libertadores do ano que vem, mesmo estando na segunda divisão do Brasileirão.

Concordo com a falácia do prêmio. No entanto, não sei se há realmente alguma coisa de político nisso tudo. Acredito mais na abordagem que o nome de Chico Buarque traga mais prestígio comercial ao Jabuti, do que o de Edney Silvestre traria caso vencesse.

Mesmo assim, trata-se de um prestígio duvidoso. Mesmo que nós brasileiros não sejamos leitores assíduos, nos metrôs, ônibus e lotações, é mais comum ver livros da Zíbia Gasparetto do que do Chico.

Talvez essa comoção fosse mais politizada e melhor orientada se a petição fosse para derrubar José Sarney da Academia Brasileira de Letras. A acusação seira mais cabida, já que pouca gente leu alguma de suas poesias ou crônicas.

Pois é, somos assim. Ou melhor, estamos assim: preferimos o calor do fato momentâneo à consistência de nossos protestos. E Chico tem razão ao indagar: o que será que andam sussurrando em versos e trovas?

Frivolidades, Chico, frivolidades...


publicado em 02 de Dezembro de 2010, 08:40
378a6d83dad728530ba98c300a775df3?s=130

Flaco Marques

Rapaz do interior de SP que vive suas desventuras na cidade grande. Poliglota valente, busca equilibrar o jeito cosmopolita de ser com a simplicidade caipira de viver.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura