O restaurante que te ganha pelo pior serviço possível

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Selo dorel jpg
  • Vivara130x50 jpg

Uma vez um empreendedor abriu um restaurante fino visando comidas refinadas e atendimento de primeira. Como a concorrência no mercado de alimentação não é dos mais tranquilos de se enfrentar, seu restaurante -- parecido com muitos outros por aí -- foi à falência.

Bem, já que era pra jogar sujo, o proprietário Steve Schiff tentou de novo, só que dessa vez, ele decidiu "ir desleixado". A decoração elegante foi substituída por algo maluco, e o super-simpático atendimento deu lugar a uma equipe de profissionais desagradável e abusivos com os clientes. Hoje, o Dick Last Resort é uma cadeia de restaurantes de sucesso, com 13 locais diferentes em todo os Estados Unidos.

Link YouTube

Last Resort, para quem não tá na pegada do inglês, significa "o último recurso", ou seja, é o derradeiro lugar em que você gostaria de parar para ter uma refeição bem servida. Mas até que acontece. Eles são especializados em bifes suculentos, costelas, hambúrgueres e frango frito, tudo servido em porções extra grandes para derrubar o maior dos esfomeados. A comida parece ser boa, mas as pessoas vão ao Last Resort para serem abusadas e agredidas pelos mal humorados empregados.

Eles são desagradáveis, fazem comentários obscenos e rudes. Eles aparecem com os braços cheios de talheres, atirando-os na mesa para que cada cliente faça o serviço de distribuí-los na mesa, se o pedido das bebidas demora, o próprio garçom escolhe por você o tipo de cerveja ou outra bebida que vai tomar e, ainda por cima, têm o hábito de colocar grandes chapéus de papel na cabeça das pessoas, com escritos de coisas embaraçosas sobre eles. 

Por exemplo, se você estivesse lá com toda a sua família, eles provavelmente escreveriam "ligue para os serviços de proteção à criança" no chapéu de seu filho, "eles são reais e meu namorado pagou por eles" em sua esposa, e "eu perdi minha virgindade com George Washington" na cabeça da sua avó.

Os americanos possuem, em seu senso de humor, a humilhação alheia e isso parece funcionar muito bem por lá. As pessoas acabam indo pela experiência de levar numa boa as ofensas que ganham dos funcionários do restaurante que, para contratar, faz uns testes excêntricos como jogos de improvisação e charadas, uma competição de dança e até a pergunta: "qual a sua cena favorita de Se Beber Não case?"

"Meu pai ficaria puto se ele soubesse quantos paus eu já coloquei na boca"
"Meu pai ficaria puto se ele soubesse quantos paus eu já coloquei na boca"

"Eu raspei minhas bolas pra isso?"
"Eu raspei minhas bolas pra isso?"

"Fui despedida do banco de espera em que eu trabalhava por beber durante o serviço"
"Fui despedida do banco de espera em que eu trabalhava por beber durante o serviço"

"Tricoto por sexo"
"Tricoto por sexo"

"Meus pelos pubianos dos anos 70 parecem a barba do (Osama) Bin Laden"
"Meus pelos pubianos dos anos 70 parecem a barba do (Osama) Bin Laden"

publicado em 07 de Julho de 2013, 07:25
13350456 1045223532179521 7682935491994185264 o

Jader Pires

É escritor e colunista do Papo de Homem. Escreve, a cada quinze dias, a coluna Do Amor. Tem dois livros publicados, o livro Do Amor e o Ela Prefere as Uvas Verdes, além de escrever histórias de verdade no Cartas de Amor, em que ele escreve um conto exclusivo pra você.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: