O velho prazer de trocar fitas e a banda Maglore | Eu ouvi pra você #13

O prazer da descoberta musical pode e deve tomar novas formas

Nos primeiros anos, quando descobri essa coisa da música e o efeito fantástico que aquilo gerava na minha mente e no meu corpo que começava a entrar na adolescência, um dos maiores prazeres era desbravar aquele universo e conversar com os amigos sobre nossas descobertas.

Nós, praticamente crianças, ainda naquele meio termo entre o "vai brincar" e o "tá na hora de tomar jeito" - isso sem contar a descoberta da atração hipnótica que as moças, suas formas e o misterioso segredo do sexo começavam a gerar - tínhamos formas de fazer isso, mesmo sem dinheiro e quase nenhuma autonomia pra andar por aí.

Não era como se nós pudéssemos ir a shows, visitar galerias, andar com as pessoas certas (ou erradas, depende) e ficar até tarde na rua. Estou falando da fase mais preliminar de todas, quando você tem interesse, mas não tem os meios.

Essa era uma época quando, em geral, você não tinha dinheiro algum, mas sempre tinha algum amigo que conseguia uma grana com os pais e investia seus trocados em CD's.

Quando descobríamos a novidade, esse nosso amigo que nos influenciava e ditava as tendências do grupo, acabava ficando responsável por gravar umas fitas K7. Ou, então, abria sua casa pra um monte de moleques meio rebeldes, meio medrosos, para ouvir suas novas aquisições.

Eu gostava muito desse espírito e é algo que trago comigo até hoje.

É por isso que fico muito feliz quando recebo uma indicação como essa, feita pelo Tiago.

Ele me mandou essa mensagem:

Luciano, sou um leitor do PdH.
Recomendação para eu ouvi pra você: 
https://www.youtube.com/watch?v=_WhCwf_ZkdI
Ps: o começo é esquisito. Mas é um som bacana.
Abraço,
Tiago

Simples e direto.

Achei bem legal o som do Maglore, que me fez lembrar desses bons tempos, quando as mixtapes simbolizavam um tipo de contato humano especial, de quem gosta de ter uma descoberta incrível e compartilhar essa felicidade com mais pessoas.

Hoje não precisamos mais fitas K7, o vinil (e mesmo os CD's) foram relegados ao papel de souvenirs musicais. Mas temos um outro lado, a música está por todo lado, mas em compensação, ainda é bem difícil ter acesso a material de qualidade. É preciso um certo garimpo, uma certa boa vontade.

É por isso que a gente não deve se acanhar. Por favor, compartilhem música.

Nesse espírito, separei aqui, além da indicação específica do Tiago, mais alguns bons trabalhos feitos por eles.

Espero que gostem.

Vamos pra rua (2013)


Vídeos

Vale citar que eles estão trabalhando em um novo disco.

Uma das músicas que já andam circulando por aí é essa:

Onde achar os caras

Site oficial

Facebook

Twitter

Youtube

Instagram


publicado em 03 de Junho de 2015, 00:00
Avatar01

Luciano Ribeiro

Cantor, guitarrista, compositor e editor do PapodeHomem nas horas vagas. Você pode ouvir no Spotify. Também escreve no Medium e em seu blog pessoal. Quer ser seu amigo no Instagram.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura