A conversa sobre paternidade é uma das mais importantes do nosso tempo. Venha para o PAI: Os desafios da paternidade atual, discutir e colocar em prática o tema.
Compre já o seu ingresso!

ONU divulga os países mais felizes do mundo e Brasil cai para 22º. Mas, o que é felicidade, afinal?

O Relatório Mundial da Felicidade divulgado pela ONU compreende os anos de 2014 a 2016

"O Brasil ficou ainda mais triste, segundo as Nações Unidas.". Da lista de 155 países, o Brasil ficou na posição de número 22, quando estava, antes, em décimo sexto na lista (em 2015) e décimo sétimo (em 2013).

O Relatório Mundial da Felicidade é uma medição da felicidade publicado pela Rede de Soluções para o Desenvolvimento Sustentável da ONU, uma pesquisa sobre a felicidade global, embasada na pergunta: 

"Imagine uma escada, com degraus numerados de zero na base e dez no topo. O topo da escada representa a melhor vida possível para você e a base da escada representa a pior vida possível para você. Em qual degrau você acredita que está?"

Além da pergunta, o relatório analisa estatísticas de desempenho da economia (o PIB do país), apoio social, expectativa de vida, liberdade de escolha, generosidade e percepção de corrupção. 

Disso, extraem-se os números para o relatório de 188 páginas que foi divulgado este ano, que tem destaques como "o crescimento da felicidade na China (de 1990 a 2015)", "a felicidade no trabalho" e "a espera o pela felicidade na África" que ainda passa por diversos problemas e conflitos, colocando oito dos dez países mais tristes da lista.

Lá no topo, os escandinavos. Cinco dos dez países com maior felicidade são nórdicos.

Os países mais felizes do mundo

1. Noruega;

2. Dinamarca;

3. Islândia;

4. Suíça;

5. Finlândia;

6. Holanda;

7. Canadá;

8. Nova Zelândia;

9. Austrália;

10. Suécia.

Daqui, é importante lembrar avanços interessantes como a "crise" penitenciária na Holanda, em que sobram vagas nas cadeias, a decisão da Noruega de banir carros movidos à gasolina até 2025 e a campanha de desarmamento na Austrália que fez despencar as mortes por arma de fogo a 230 em 2014 (Nos Estados Unidos, no mesmo período, morreram 11.961 pessoas. No Brasil, 42.291).

Lembrando que nem tudo são flores nos países felizes.

Os países menos felizes do mundo

146. Iêmen;

147. Sudão do Sul;

148. Libéria;

149. Guiné;

150. Togo;

151. Ruanda;

152. Síria;

153. Tanzânia;

154. Burundi;

155. República Centro-Africana.

O Iêmen está em uma guerra que ninguém mais se lembra. O Sudão do Sul está em um conflito desde 2013, com retrocessos recentes. A Libéria viveu mais de 20 anos de guerra civil, que acontecia ainda no começo dos anos 2000. A Guiné é um país entre duas nações que passaram por conflitos recentes, a Guiné-Bissau e Serra Leoa. 

O genocídio de Ruanda acabou de completar 22 anos agora em abril, quando 800 mil pessoas foram exterminadas em menos de cem dias. A Síria passa pela principal guerra da atualidade, e recentemente sofreu mais um revés, com um ataque que se utilizou de armas químicas contra a população de de Khan Sheikhoun.

Hoje há um conflito entre Tanzânia e Malawi praticamente não divulgado. O Burundi vem de uma guerra civil terminada em 2005, mas ainda com fortes tensões na região e, para finalizar, a República Centro-Africana está em guerra civil neste exato momento, com recente envio de mais tropas da ONU.

Lembrando que o continente Africano é enorme e diverso, e nem tudo o que acontece por lá envolve guerras, fome e tragédias.

Mas o que é felicidade?

 Algumas leituras para enriquecer a conversa:

Happy: documentário sobre felicidade genuína;

Da felicidade como não-constante;

Prisão Felicidade;

Por que não somos felizes?;

Alcançar o que quer não vai te deixar mais feliz;


publicado em 07 de Abril de 2017, 00:00
13350456 1045223532179521 7682935491994185264 o

Jader Pires

É escritor e colunista do Papo de Homem. Escreve, a cada quinze dias, a coluna Do Amor. Tem dois livros publicados, o livro Do Amor e o Ela Prefere as Uvas Verdes, além de escrever histórias de verdade no Cartas de Amor, em que ele escreve um conto exclusivo pra você.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura