Álbum de figurinhas: Os colombianos Jeimmy e Michael e a jornada de cruzar o Brasil de bicicleta

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Asm selo png
  • 130x50 jpg

Postada diante dos portões do Estádio Mané Garrincha, uma multidão amarela, vermelha e azul tomou conta da Asa Norte de Brasília no período que antecedeu a partida entre Colômbia e Costa do Marfim pelo Grupo C da Copa do Mundo de 2014.

Mas, mesmo dividindo as cores com milhares de seus compatriotas, Jeimmy Johana Rojas e Michael Guarin faziam-se destacar na multidão. Cada um com uma bicicleta lotada de alforges debaixo de si, pintavam o retrato da aventura que dividiram ao longo dos últimos cinco meses: percorrer o Brasil de bicicleta.

Jeimmy e Michael, os clombianos que conheceram o Brasil de bicicleta
A bicicleta é saudável, ecológica e, melhor ainda, ajuda a viajar com calma.

Naturais de Bogotá, partiram da colombiana Letícia em 31 de janeiro. Entraram no Brasil por Tabatinga, ficaram uma semana em Manaus e, pedalando pela orla de rios e do Oceano Atlåntico, passaram por Santarém, Belém do Pará e cidades do Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte e Pernambuco.

Na Bahia, avançaram por Feira de Santana para chegar até as filas que se formavam na arena de Brasília. O extenso trajeto servia também para explicar a suavidade com que encaravam o impasse entre os 100 reais de que dispunham e os R$ 350 que cambistas pediam por um bilhete para o jogo.

“Nós não viemos para a Copa. Viemos pela experiência”.

Fotógrafo, Michael dedicou seu tempo a fazer registros pelo caminho e pretende publicá-los num ensaio em forma de livro que servirá de conclusão para a faculdade. A estudante de Serviço Social, que me disse a frase acima, aproveitou a serenidade de uma viagem sem pressa para conhecer tribos indígenas, redutos quilombolas e estudar para uma monografia que se preocupa com o reconhecimento dessas e outras minorias.

Quando os trabalhos de ambos estiverem prontos, os papéis das monografias devem dar lugar novamente à prática de colocar as magrelas para rodar. A conversa me lembrou de um trecho do A Arte de Viajar, do Alain de Botton.

“As viagens são parteiras de pensamentos.  Poucos lugares são mais propícios a conversas internas do que um avião, um navio ou um trem em movimento. Existe uma relação quase fantástica entre o que está diante de nossos olhos e os pensamentos que podemos ter: reflexões amplas podem requerer paisagens vastas; novas ideias, novos lugares”.

* * *

brasilia

Uma Copa do Mundo se faz com pessoas.

As que entram em campo, as que viajam para testemunhá-la, as que enchem as ruas, as que se voluntariam, as que torcem e as que veem no evento uma oportunidade para garantir seu sustento ou para extravasar.

A seção “Álbum de Figurinhas” pretende contar, com um microrrelato artesanal e um retrato por dia, a história de algumas dessas pessoas, muitas vezes invisíveis, que povoam os bastidores da Copa do Mundo do Brasil.

Para ler todos os textos, basta entrar no nosso Álbum de Figurinhas.


publicado em 22 de Junho de 2014, 05:55
Ismael veredas corte jpeg

Ismael dos Anjos

Ismael dos Anjos é mineiro, jornalista e fotógrafo. Acredita que uma boa história, não importa o formato escolhido, tem o poder de fomentar diálogos, humanizar, provocar empatia, educar, inspirar e fazer das pessoas protagonistas de suas próprias narrativas. Siga-o no Instagram.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: