A conversa sobre paternidade é uma das mais importantes do nosso tempo. Venha para o PAI: Os desafios da paternidade atual, discutir e colocar em prática o tema.
Compre já o seu ingresso!

Os prejuízos de um incêndio gigantesco

Um onda de calor assola a Rússia há mais de 50 dias. As temperaturas estão atingindo incríveis 32 graus durante essa onda de calor, coisa comum de acontecer aqui no Brasil. No entanto, lembre-se: são locais e climas totalmente diferentes. Seria como se no Brasil as temperaturas ficassem em torno de 40 graus por esse mesmo período de tempo.

A área afetada pelos incêndios florestais já somam 1.740 quilômetros quadrados, equivalente a 232.000 campos oficiais de futebol. Além dos diversos prejuízos ambientais, este incêndio já está causando a queda do PIB da Rússia em 1%. Portanto, a alta de 4% esperada para esse ano terá que ser revista.

Esse incêndio pegou a Rússia de surpresa, com uma estrutura muito falha de combate a incêndios, causando o problema nessas proporções que estamos vendo agora. Como as pessoas só tomam uma atitude depois que um problema grave acontece, o governo russo aprovou na noite de segunda-feira o investimento de 1,8 bilhão de dólares nos próximos três anos na modernização dos serviços de combate a incêndios.

Os incêndios já causaram a morte de 54 pessoas diretamente, no entanto, o tempo seco e a fumaça que paira sobre Moscou já aumentou a taxa de mortalidade de 400 para 700 pessoas por dia na capital russa. O ar está irrespirável. E só para piorar um pouco, foram detectados alguns focos próximos ao centro de pesquisas nucleares de Sarov, a 500 quilômetros de Moscou.

Nuvem de fumaça causada pelos incêndios (clique para ver em alta). Créditos: NASA.

Felizmente, hoje o governo russo já tem mostrado números de diminuição de focos de incêndios e os Estados Unidos estão mobilizando equipes e meios aéreos de luta para auxiliar o combate aos incêndios.


publicado em 13 de Agosto de 2010, 17:00
1c43c35a9fcce3811a46392a3e697798?s=130

Danilo Scorzoni Ré

Engenheiro Florestal, amante da natureza e de ecoturismo. Apesar de ambientalista, não gosta de eco-chato e ainda acredita na capacidade do ser humano em promover um futuro melhor. É @dscorzoni no Twitter.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura