Como ir além do "tudo bem" num bate papo? Como falar sobre emoções com seus amigos sem parecer estranho? Ensinamos nessa animação de 2 minutos, vem ver. ;-)

Participe do Mapeamento Nacional de Iniciativas e trabalhos com Homens e/ou Masculinidades

Institutos se juntam e fazem pesquisa inédita para mapear todos os grupos que trabalham com homens e masculinidades no país.

"Sabem se existe algum grupo de homens na minha cidade ou região?"

Perguntas como esta chegam até nós do PdH e, apesar dos nossos esforços, nem sempre conseguimos criar estas pontes.

HOMENS BRASIL 2020 | Mapeamento Nacional de Iniciativas de Trabalho com Homens e/ou sobre Masculinidades é exatamente o tipo de trabalho que vai abrir caminhos que unam os interessados com aqueles trabalhos que já existem à décadas e também com os que florescem cada dia pelo Brasil todo. 

O mapeamento HOMENS BRASIL 2020, é uma inciativa de várias instituições Gema/UFPE, Instituto PAPAI, IFF/Fiocruz, UFPA, UFMT e Margens/UFSC — que tem pesquisado e realizados trabalhos no tema.

Podem ser registradas diversos tipos de trabalhos com homens e masculinidades: seja focando na saúde do homem, paternidade, diversidade sexual, enfrentamento da violência de gênero, trabalho, produção de arte cultura, entre outras possibilidades. 

Registre sua iniciativa/trabalho com masculinidade no mapeamento:

Se você trabalha com masculinidades, lidera um grupo de homens, ou está envolvido com alguma iniciativa neste sentido, não deixe de preencher a pesquisa para que o seu grupo entre para o mapeamento. 

PREENCHA AQUI:

Clique na imagem para ser direcionado ao formulário.

Se você não tem uma inciativa, mas conhece alguma, passe estes formulário para quem for responsável por ela. É muito importante que esta pesquisa consiga chegar a todos envolvidos com estes trabalhos. A coleta acaba dia 30 de junho. 

Conversamos com Benedito Medrado, um dos idealizadores do mapeamento e pesquisador de referência no tema das masculinidades. Ele falou que o mapeamento está olhando para tipos iniciativas em 4 pilares:

  1. Pesquisa:  com homens e sobre masculinidades em diferentes abordagens
  2. Formação e capacitação: "pessoas que estão oferecendo cursos, pessoas que estão desenvolvendo iniciativas de formação e capacitação voltadas para este tema.
  3. Linhas de intervenção direta: Campanhas de comunicação, ação comunitária, grupos terapêuticos (podendo ser inclusive com homens autores de violência, campo que cresceu a partir da lei Maria da Penha.
  4. Arte e cultura: produção de representações artísticas com literatura, música e outros, ou de uso da arte como forma de unir homens e repensar as masculinidades - como grupos de crochê entre homens e outras atividades.

O objetivo é encontrar os serviços, grupos, coletivos, instituições, redes, movimentos ou outras iniciativas, governamentais ou não-governamentais, que estão trabalhando com homens e/ou sobre masculinidades no Brasil. 

O que se espera conseguir com esta pesquisa?

Evento Pai 2018 do PdH - Foto de Luis Simonetti 

Sobre a divulgação de dados, Benedito diz que haverá um catálogo com as iniciativas mas que não será só isso. 

"Só isso a gente acha que não é suficiente, que é muito pouco, é simples. Na verdade p objetivo da gente é potencializar  coalizões conexões, interlocuções, enfim, diálogos entre estas experiências. Pensar estratégias de colocar eles em conexão, mas também pensar em aprofundar.

Este primeiro levantamento ele é um mapeamento e como todo mapeamento ele tende a uma leitura mais panorâmica, a gente quer, depois, aprofundar. Por exemplo: 'Vamos agora focar só nos grupos com homens autores de violência e vamos fazer uma segunda rodada com temas específicos para isso'. Outro pode ser "vamos pensar só os grupos terapêuticos" ou "só as iniciativas culturais" e isso a gente vai distribuir na rede [de pesquisadores] para poder cada um de nós pegar estes elementos e aprofundar."

A importância estratégica deste trabalho

Benedito começou a trabalhar com o tema em meado dos anos 90 e, tendo participado junto com tantos outros da evolução dos estudos e trabalhos com grupos de homens, comenta a importância estratégica deste mapeamento.

"Há 23 anos a gente vem pensando esta questão como coletivo, entao é um bom momento para gente fazer um balanço. O que é que a gente avançou nos últimos 23 anos? E ao mesmo tempo inaugura a possibilidade de pensar em novas ações. É quase uma perspectiva de uma pausa para poder fazer um monitoramento: uma leitura panorâmica para pensar novos caminhos e outras articulações." 

O mapeamento é um esforço inédito no mundo inteiro

Benedito é, também, o coordenador do escritório da MenEngaje no Brasil e conta pra gente que este seria, no mundo, o primeiro mapeamento a reunir iniciativas trabalho com homens de um país inteiro. Haveriam outros focados em grupos específicos, como o nosso mapeamento de iniciativas que trabalham com homens autores de violência.

 A MenEngaje é uma iniciativa internacional (que nasceu aqui no Brasil) e hoje tem representações em mais de 80 países. Segundo Benedito a pesquisa brasileira será uma primeira experiência para depois ser reproduzida nos outros países. 

Qual iniciativa não pode ficar de fora deste mapeamento? 

Fala pra gente aqui nos comentário o que não pode falta e lembre-se: se tiver um trabalho, registre ele na pesquisa, se conhecer algum, recomende o formulário. 


publicado em 19 de Junho de 2020, 18:16
Logo pdh png

Redação PdH

Mantemos nosso radar ligado para trazer a você notícias, conversas e ponderações que valham o seu tempo. Para mergulhar na toca do coelho e conhecer a visão editorial do PdH, venha por aqui.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura