Estamos procurando um autor para escrever sobre saúde do homem no PdH! Topa? Mais informações aqui.

Pedro Carneiro Pereira - O narrador de emoções - O rádio, o futebol e o automobilismo na vida de um vencedor

Na primeira parte do artigo sobre o DKW #96 o Gustavo Alencastro sugeriu nos comentários que eu procurasse alguns livros sobre automobilismo.

Eu, assíduo freqüentador da Livraria Cultura, sempre faço uma parada por lá para tomar um expresso e folhear alguns livros. Lembrei da menção de Gustavo à respeito do livro sobre o tal Pedro Carneiro Pereira.

Fui até a estante reservada às publicações de automobilismo e lá estava o tal livro sobre o "Pedrinho". Sentei na mesa da cafeteria e enquanto esperava meu expresso chegar, comecei a folhear aquela fantástica biografia.

livraria-cultura
Alguém mais já teve vontade de morar na Livraria Cultura?

Meu café já estava na mesa há vários minutos começando a esfriar quando um senhor aproxima-se e comenta:

- Esse foi o melhor narrador que esse país já viu. Quase choro ao lembrar.

Eu já estava imerso na história desse que, para mim até então, era um total desconhecido. Diante da emotiva intervenção daquele senhor, não restaram dúvidas: comprei na hora.

Em casa, lendo o livro com mais calma, fui aos poucos me emocionando também com esse grande ilustre de quem eu ainda não havia ouvido falar. Procurando um pouco mais sobre esse homem na internet descubro que estudantes de jornalismo da Universidade Luterana do Brasil produziram um documentário sobre Pedrinho.

pedro-carneiro-pereiracarro-pedro
Um mito brasileiro

Assisti e asseguro é tão sensacional e emocionante como o livro! São vinte minutos do seu tempo que realmente valerão a pena:

link vídeo

--

nota pessoal do editor: o trecho entre 12min e 13min do documentário é de arrepiar. outros tempos.


publicado em 29 de Maio de 2008, 14:05
3861595431ec39c257aee5228db3092a?s=130

Rodrigo Almeida

Engenheiro, apaixonado pela vida e por qualquer coisa com um motor potente, nostálgico entusiasta de muitas daquelas boas coisas que já não mais se fazem como antigamente.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura