Estamos procurando um autor para escrever sobre saúde do homem no PdH! Topa? Mais informações aqui.

Pense bem antes de morrer

Podemos agrupar as mais variadas crenças sobre a morte em dois extremos: "Tudo acaba, nada sobra além de material biodegradável" e "Não somos apenas carne e osso, existe algo que segue". Em ambos, temos perguntas sem resposta.

Se você tem alguma certeza, é porque não pensou até o fim.

Apesar da morte ser inescapável, por que temos uma grande dificuldade em aceitá-la, em acreditar que em algum momento nosso corpo vai virar poeira, em imaginar o que é não mais existir? Como explicar a hipótese de que vamos continuar vivendo em uma entidade não física? Quais argumentos existem para acreditar que temos uma alma? Há mesmo algo em nossa personalidade que nunca muda? Por que consideramos a morte algo negativo? O suicídio é um ato moral e racional?

Para falar sobre a morte, nada melhor do que sentar em cima da mesa

Convido vocês a embarcar nessa grande viagem sobre a morte ao lado do professor de filosofia Shelly Kagan (que foi aluno de Thomas Nagel), neste impressionante curso da universidade de Yale. São 26 vídeos, mais de 20 horas de aulas precisas. Kagan não deixa preconceito algum guiar o assunto.

Pensar rigorosamente é uma bela forma de nos aproximar do que é certo: vamos todos morrer.

Link YouTube | Aula introdutória (clique em “cc” para abrir as legendas e a tradução)

O curso inteiro está no YouTube.


publicado em 01 de Agosto de 2011, 09:10
12596172 10153389055960906 1551523976 n

Alberto Brandão

É analista de sistemas, estudante de física e escritor colunista do Papo de Homem. Escreve sobre tudo o que acha interessante no Mnenyie, e também produz uma newsletter semanal, a Caos (Con)textual, com textos exclusivos e curadoria de conteúdo. Ficaria honrado em ser seu amigo no Facebook e conversar com você por email.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura