A conversa sobre paternidade é uma das mais importantes do nosso tempo. Venha para o PAI: Os desafios da paternidade atual, discutir e colocar em prática o tema.
Compre já o seu ingresso!

Por que trocar roupas usadas? Um novo olhar para o consumo têxtil

Agora você vai poder trocar suas peças pelas de outra pessoa por meio do app Roupa Livre

Quando a gente se dá conta de todos os recursos e processos envolvidos na produção de roupas (matéria prima, transporte, embalagem, mão de obra) percebemos que o custo de manter uma relação descartável com as roupas é muito alto – para nós, para os envolvidos na cadeia e para a natureza.

Comprar aquela camiseta que você não vai usar mas era baratinha parece inofensivo, mas no fundo causa um problemão. E os números podem te ajudar a sacar o tamanho do impacto da indústria da moda:

  • 20% da poluição nos oceanos e mares é proveniente da indústria têxtil;

  • Produzir 1 calça jeans nova pode consumir mais de 10 mil litros de água;

  • Certa de 1 em cada 6 pessoas no mundo trabalha direta ou indiretamente na indústria têxtil, uma das que mais explora o trabalho escravo.

Tudo isso para seguir produzindo cada vez mais e mais rápido. Só que já existem roupas prontas no mundo para várias gerações.

É fato: a gente não precisa de roupas novas.

A gente precisa de um novo olhar

Existe em nós uma busca natural pela novidade, mas que pode ser suprida por um novo modo de ler o que já existe, sem precisar entrar na roda frenética de consumo de algo 0 km toda vez que surge uma necessidade.

O nosso corpo se transforma, a nossa vida se também, e as roupas vão deixando de caber no nosso dia-a-dia. Mas podem caber perfeitamente no de outra pessoa. E é uma delícia ver algo que a gente gostava muito voltar a fazer sentido no corpo de alguém.

Por mais inovador ou amigo-do-planeta que um produto novo seja, escolher usar algo que já está pronto pode ser a melhor escolha.

Seguindo esta lógica, nossa lista de prioridades na hora de consumirmos roupas poderia ficar assim:

piramide.png

 

Acontece que nem sempre temos opções tão fáceis e acessíveis quanto ir ao shopping comprar aquela blusa baratinha (que na verdade custou um montão pro planeta). Brechós não têm sempre uma boa seleção e produtos de qualidade, apesar dessa cultura estar em expansão por aqui, e os saudosos alfaiates e costureiras saíram de cena, e hoje é quase impossível mandar fazer roupas duradouras e perfeitas ao corpo.

Por isso é que criar alternativas à este consumo descartável é urgente. E é por isso que o Roupa Livre existe há mais de um ano. A gente vem buscando criar essas alternativas através dos eventos agitados por nós, onde sempre rola muita transformação, troca, consertos e afins.

Colabore com a campanha do Roupa Livre App

A ideia de um aplicativo que facilite a circulação de roupas usadas, seguindo a lógica do Tinder, que estamos buscando financiar pelo Catarse, vem pra aumentar esse esforço.

Vem pra fazer essa iniciativa chegar mais longe. Vem pra ser possível que pessoas em qualquer cidade do Brasil possam trocar roupas (entre si, ou à distância).

A gente acredita que se tiver bastante gente abrindo as portas do seus armários para dar uma nova vida ao que estava encostado, dá pra dar uma boa desacelerada nesse ritmo de produção. E assim aumentar os critérios e cuidados de quem seguir produzindo.

Trocar roupas usadas parece um gesto simples, mas é transformador.

Mudando nosso comportamento, passamos a não sermos mais só parte do problema e sim parte da solução. E além de tudo, ganhamos um olhar muito mais criativo pra vida. Afinal de contas, mesmo que a gente não se de conta, nos vestir de forma mais coerente com o que se acredita pro mundo, e não com a última tendência, por incrível que pareça, é uma ótima forma de transformar a realidade ao seu redor.

Apoiando o projeto do Roupa Livre App você nos ajuda a dar vida a esta iniciativa e logo, logo vai ter um jeito mais fácil de trocar suas roupas.

Vamos nessa?


publicado em 16 de Dezembro de 2015, 15:38
780ed4a2088e52acf4e27d730accb5ec

Mari Pelli

Gosta de investigar de onde as coisas vêm, como são feitas e como a gente se relaciona com elas. Largou a publicidade e agora cria e articula projetos como o Roupa Livre, onde propõe mais carinho, cuidado e afeto com o que vestimos. Também oferece assessoria estratégica para empreendedores criativos.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura