Estamos procurando um autor para escrever sobre saúde do homem no PdH! Topa? Mais informações aqui.

Por que você não está na TV?

Dinheiro. Vamos deixar uma coisa clara desde o início. Você não está na televisão por causa de dinheiro. Pelo menos é o motivo mais palpável e imediato e, se você discorda, simplesmente não leia este texto e permaneça em sua invenção. Não se trata de tática barata. Se você não aprende a equação de primeiro grau, não há artifício abstrato que vai te fazer entender a inequação. Supere. Instrua-se e questione.

Sempre quis aparecer na televisão. Boa parte da atual civilização ocidental deseja isto arduamente. Humildes desprezíveis contam suas moedas, comem seus livros, "trabalham" até mais tarde, em busca do capcioso reconhecimento proporcionado pela mídia televisiva. Mesmo que você bata o pé e afirme com convicção que não almeja isto, basta sair da cama pela manhã para perceber como nossa cultura nos inclina a tal teatro triste e sem valor.

Conheci muitos destaques em diversas áreas e ocupações. Pessoas capazes de cheirar o próprio rabo e descrever aromas frutados, amendoados; capazes de descrever o que você jantou no dia anterior e o que você espera do futuro. Criaturas dedicadas a detalhes dos quais jamais fizeram falta o conhecimento em sua vida, mas que por um instante admiramos habilidades intrínsecas como um mérito, uma boa ideia. A ideia vital que você não teve.

O equívoco de tornar o reconhecimento uma vontade é a grande sacada do negócio, fazendo com que sua curiosidade vire um caldo raso e seus desejos egoístas e megalomaníacos mais intensos. O poder sobre as pessoas é surpreendente, porém vazio e obsceno.

Não se esforce. Livre-se. Livre-se de pais, mães, irmãos, amigos, chantagens emocionais, drogas curtas e caras. Sua dedicação jamais vai aparecer na televisão, no jornal ou na mídia em sua forma original: “Puxa, isso é bacana! Pode ser útil de alguma forma a alguém que nunca vou conhecer”. Divirta-se. Perceba que sua relevância na atual conjuntura é tão imprescindível quanto descobrir o caminho do Jabaquara até a Praça da Sé. Um dia, nossa localização vai ser tão importante quanto a certeza de ligar o computador todas as manhãs. Sua opinião sem ação terá a mesma qualidade.

Contrate uma assessoria de imprensa. Compre produtores e chame os familiares para lhe ajudar na empreitada. Divulgue seu nome. Mastigue 50 chiletes de uma vez. Nade 20 km em mar aberto. Seja assassino de centopeias. Coma merda. Chupe a boceta da sua mãe. Empurre cegos no metrô. Se você se esforçar e conseguir um capital de fluxo mediano, certamente irá cair na televisão.

Quando você não puder falar palavrões, desconfie. Não é lugar pra você. Pra ninguém.


publicado em 13 de Março de 2011, 07:01
5ee29431b9c35ecc553c90c910c015b3?s=130

Danilo Barba

Repórter do Portal AreaH. Há 25 anos na mesma pergunta: o que está acontecendo? Lembra-se diariamente da morte para sair da cama. No Twitter, @criancasqueijo


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura