A conversa sobre paternidade é uma das mais importantes do nosso tempo. Venha para o PAI: Os desafios da paternidade atual, discutir e colocar em prática o tema.
Compre já o seu ingresso!

Porão do Rock 2008

Esse fim de semana rolou em Brasília o festival Porão do Rock, que reuniu mais de 40 bandas. Estive lá cobrindo o evento pelo PapodeHomem, conferindo o show das bandas e ainda entrevistando alguns dos músicos, foi foda demais!

A Música

Dois dias de Rock’n’Roll é mais que um sonho pra qualquer amante da boa música, ainda mais quando durante os dois dias você não só fica por dentro do que ta rolando de novo dentro da cena indepentende do país, como também tem a chance de ouvir de tudo dentre Pop-Rock a Trash Metal. Além da chance de ver de perto outras bandas já bem conhecidas como: Matanza, Suicidal Tendencies, Pitty e MUSE.

IMG_3670
Cair da tarde, galera ainda chegando no festival

Agora o melhor foi na coletiva da banda Elffus quando o vocalista Alberto Ramos disse: “nós temos que levar o Rock’n’Roll aonde ele não está, porque onde ele está a galera já está curtindo”. Com mais de 10 anos de estrada, a banda começou tocando seu rock pesado em feiras agropecuárias e já dividiu palco com bandas sertanejas, de axé, com o Fábio Jr., mas sempre tocando o bom e velho rock.

Vivendo do Rock

Conversando com vários dos músicos que subiram nos palcos nesses dois dias, percebi que a maior parte da galera toca apenas pelo puro prazer de tocar e se divertir. A galera do Black Drawing Chalks, uma das bandas mais novas nos contou que tocam por pura diversão e que a banda da é prejuízo ao invés de trazer grana, já que a idéia é se divertir e cada grana que entra eles torram tudo com festa.

IMG_3786
Galera enlouquecida antes do show (vista do palco)

A galera também fala que o álcool é um perigo no show, o Denis (baixista) disse que umas tequilas a mais em um show levou o guitarrista a destruir uma guitarra no palco. Agora quem realmente foi bem mais além foi o Mozine (baixista e vocalista) do Mukeka di Rato que uma vez colocou um boi no palco em um show em Goiânia.

IMG_3532IMG_3544
Dois membros das bandas Black Drawing Chalks, Elffus (direita), e dois do Mukeka di Rato (esquerda)

Fabrício do MQN resumiu a vida de uma banda em duas palavras:“sempre bêbados!” e também nos contou uns episódios inusitados como a vez em que travestis subiram no palco durante o show da banda e quando tocaram em um festival chamado “Strip Rock Tease”, que durante o show das bandas rolava strip-tease, claro que, não da banda.

Alessandro Rafael Cury 2
Rafael Cury & The Booze Bros no palco (foto retirada do site do evento)

O pessoal do Mukeka di Rato, com mais de 10 anos de carreira consegue manter uma vida tranqüila, mas “chega fim de semana, a gente pega um avião, da um dois shows no fim de semana e segunda-feira está de volta ao trabalho”.

Rock combina com Mulheres?

Não é de hoje que existe a lenda de que quem faz rock’n’roll pega mais mulher e resolvi investigar a respeito durante o evento. O Rafael Cury do Rafael Cury & The Booze Bros falou que é a “mesma merda!”. Embora hoje casado, ele diz que não pode deixar de fazer seu papel de “dar uma olhada, flertar” só pra enlouquecer as fãs.

Já a galera do Black Drawing Chalks falou que com certeza aparece mais mulher e quem sofre mesmo são os que tem namorada. “Elas brigam mais”, mas também falaram “bixo, é bão!”.

IMG_3571
Jimmy do Matanza: "estamos todos bêbados, bêbados de cair"

O Phú, baixista do Macakongs 2099 quando questionado sobre o assunto nem hesitou: “lógico! E muito!”. Disse que antes de começar a tocar em banda que tinha comido não mais do que umas 10 mulheres, depois, a contagem passou dos 100 fácil. “Hoje to fraco, parei, mas o começo foi bom!”. Assim como também contou o Mozine do Mukeka di Rato: “comi geral na escola, no bairro, etc”.

Agora quem resumiu tudo foi o Jimmy do Matanza: “vocês sabem o que é bom pro Matanza?”, quando um fã no meio da multidão fez um sinal, bem reconhecível, Jimmy responde “então você gosta de mulher bonita? BO-NI-TA? B-U-C-E-T-A”

Subindo no Palco com Suicidal Tendencies

Agora um dos momentos mais marcantes do festival pra mim foi o show do Suicidal Tendencies, aclamada banda de metal/hardcore americana que era a principal atração da sexta-feira.

IMG_3630
"You can't bring me down!"

Final do show durante a performance de “We are family”, o vocalista Mike Muir começou a chamar a galera pra subir no palco. Depois do terceiro a galera tentou invadir o palco, mas os seguranças conseguiram segurar todos.

Consegui passar por trás e me juntar a umas 15 pessoas que estavam na rodinha punk em cima do palco ao redor do vocalista que terminava a música e ao mesmo tempo ainda agitava a galera. No final, consegui enrolar a segurança de novo e ficar no fundo do palco, onde consegui algumas fotos com a banda e uma tentativa frustada de conseguir uma palheta com o guitarrista Mike Clark.

Fotos

IMG_3582
Mais Matanza

Patrick Matanza 1
Matanza, visto de trás do palco (foto retirada do site do evento)

IMG_3604
Mike Clark, Suicidal Tendencies

IMG_3660
Galera do Vai Thomaz no Acaju

IMG_3686
Pessoal do Canastra, única banda que tinha um baixo acústico

IMG_3712
Pitty na conferência de imprensa

IMG_3758
E depois no palco

IMG_3779
IMG_3863
MUSE

IMG_3887
Matthew Bellamy, vocalista/guitarrista/pianista do MUSE

Pra fechar, deixo aberta a discussão pra quem tem banda, toca, canta: “e ai? Aparece mais mulher ou não?”

*Todas as fotos são creditadas ao autor do post, exceto quando indicado o contrário. O fotógrafo pede que seja contactado antes de qualquer republicação das mesmas.


publicado em 03 de Agosto de 2008, 14:19
91fbfbc90492fb923241c8ba72ec2b3b?s=130

Gus Fune

Hacker de viagens, se tem wi-fi pode ter certeza que ele ainda chega lá se já não foi. Trabalha de qualquer canto cuidando da Epic Awesome e fazendo suas próprias regras.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura