Estamos procurando um autor para escrever sobre saúde do homem no PdH! Topa? Mais informações aqui.

Prefeito assumidamente gay se casa no interior de São Paulo

Um dos poucos políticos assumidamente homossexuais se casou depois de 13 anos de União Estável

Edgar de Souza, do PSDB, é prefeito reeleito de Lins, cidade há aproximadamente 420km da capital. Nesta semana, após 13 anos de relacionamento em união estável, ele se casou com o empresário Alexsandro Luciano Trindade.

Edgar é assumidamente gay.

Tudo como manda o figurino. A cerimônia, segundo o jornal Estado de S. Paulo, teve a presença dos pais dos noivos, daminhas de honra e tudo o mais. Em discurso de celebração, o prefeito disse: “Fizemos questão desse momento para dizer a todos que nos amamos. Corrupção é feio, lavagem de dinheiro é feio, mas o amor é muito bonito”.

E é mesmo.

Temos poucas pessoas assumidamente homossexuais em nossa política. Nos Estados Unidos, Harvey Milk foi o primeiro gay assumido eleito para um cargo político. Em 1978, ele foi eleito supervisor do distrito de Castro, em São Francisco, Califórnia. Berlim atualmente é gerida por um homem gay, Klaus Wowereit. Paris já teve um prefeito gay, quando Bertrand Delanoë administrou a capital francesa de 1995 a 2001. Em 2002 ele foi esfaqueado em uma festa por um homem que dizia odiar políticos e homossexuais. No Reino Unido o Ministro da Agricultura Nick Brown, durante a administração de Tony Blair, sofreu chantagens de um tabloide que dizia ter fotos suas com um ex-namorado, fato que o fez "assumir" publicamente que era gay. 

Pessoas são felizes e pessoas sofrem, ainda, por conta de sua sexualidade. Existir alguém exercendo um cargo executivo no país é significativo. 


publicado em 07 de Março de 2017, 00:00
Logo pdh png

Redação PdH

Mantemos nosso radar ligado para trazer a você notícias, conversas e ponderações que valham o seu tempo. Para mergulhar na toca do coelho e conhecer a visão editorial do PdH, venha por aqui.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura