Qual é a sua jornada?

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Selo dorel jpg
  • Vivara130x50 jpg

Link Vimeo | Assista em tela cheia

Jornada

Respirar e ter um saco entre as pernas é pouco.

Estamos aqui para viver... e morrer. Cada minuto em que nos esquecemos disso é jogado fora. Vazio.

Nossa existência... é abrupta.

Não há mapas.

Nem caminhos certos ou errados.

“Seja você mesmo” é história pra crianças.

No mundo real há escolhas.

Construa quem deseja ser.

Cada passo nos avança em uma direção cuja responsabilidade é nossa. De mais ninguém.

Não há garantia. Pra nada.

Somos os únicos artesãos de nossos dias.

Afie sua mente. Ela será o melhor aliado de seus instintos.

Faça silêncio, escute.

Respire.

Repetir ideias sem o exaustivo teste da prática é nos render a uma existência fácil.

Sendo assim, sorrimos para o embate. Ferocidade saudável nos mantém sãos.

O treinamento não cessa, nunca.

Somente em nossas covas.

Somos exploradores; não guardiões da moralidade e do correto.

Apreciamos o medíocre, o esplendoroso, o sombrio, o pitoresco, o belo, o misterioso, o hediondo.

Estamos aqui para expandir, sujar, contar, provocar, questionar, ofender, debater, dialogar, brigar, esmigalhar, refletir, semear, construir e crescer em conjunto. Continua e disruptivamente.

Engrandecemos aqueles à nossa volta, pois a conquista solitária é um prato frio, sem gosto.

Viemos todos da mesma merda.

Não perca tempo se justificando. Coloque o seu melhor na mesa.

Reclamar nos apequena, é fraco. Aja.

Seja o exemplo que deseja seguir.

Erre tanto quanto possível, aprenda sempre - mesmo quando acreditar não ver nada ali. Erre mais.

Pessoas não buscam o sentido da vida. Buscam a experiência de estar vivas.

Caminhar com propósito.

Ser homem é se tornar protagonista de sua própria história.

É jornada.

Legado.

Qual será o seu legado?

Qual é a sua jornada?

(...)

Do pequeno círculo de confiança a um amplificador de narrativas

Cinco anos, representados em uma constelação. É só o começo... (clique pra ver a imagem completa)

O PapodeHomem como o conhecem morreu. Esse artigo, o "espaço exploratório" em nossa logo e o background com uma foto da rústica mesa central de nosso QG, onde nos reunimos, nos alimentamos e craniamos loucuras. Todos marcam largo passo em materializar nossa real visão, a qual temos construído tijolo a tijolo ao longo dos últimos anos.

Não somos um site, um veículo, um portal ou mesmo um grupo de caras espalhados pelo mundo.

Tudo isso, disfarces.

Em realidade, cultivamos um espaço exploratório do masculino. Estamos por publicar um belo mergulho teórico por meio do qual vamos aprofundar e compartilhar essa noção conceitual a respeito de nossa essência. O vídeo ao início foi um passo nesse caminho, materialização produzida em conjunto com o talentoso Coletivo Eztetyka.

Antes, porém, queremos escutar.

Vocês veem significado e coerência no que dizemos? Nossa fala de algum modo os impacta ou transforma? Enxergam aqui algo além-veículo?

Na visão de vocês, o que é, poderia ser e oferecer um espaço exploratório do masculino?


publicado em 26 de Junho de 2012, 12:03
File

Guilherme Nascimento Valadares

Editor-chefe do PapodeHomem, co-fundador d'o lugar. Membro do Comitê #ElesporElas, da ONU Mulheres. Professor do programa CEB (Cultivating Emotional Balance). Oferece cursos de equilíbrio emocional e escreve pequenas ficções no Instagram.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: