Quando errarmos com nossos filhos, podemos mostrar que não somos infalíveis

Uma pequena reflexão que pode ajudar a criação de nossas crianças e, mais ainda, ajudar a nós mesmos

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Selo dorel jpg
  • Vivara130x50 jpg

Quando errarmos com nossos filhos, intencionalmente ou não (e isso vai acontecer várias vezes), costumamos rapidamente apontar culpados, motivos e falhas, tentando remediar a situação e/ou nos livrar da responsabilidade.

Mas, talvez, seria legal aproveitar o momento para mostrar aos nossos filhos que não precisamos deixar as emoções tomarem conta. Sempre podemos sorrir, relaxar, respirar e mostrar que os adultos também erram*, que não somos infalíveis.

Melhor ainda seria aproveitar o momento para dar aos pequenos a rara oportunidade de decidir se querem nos desculpar, ou não, oferecendo à eles a chance de praticarem generosidade, abertura, compaixão e sabedoria.

* Para uma criança acho melhor usar essa linguagem mais simples, mas, se fosse falar com alguém mais velho, diria que o melhor é ver que não existem culpados, que todos nos estamos propensos a causas e condições que nos fazem agir de uma forma que, às vezes, causa sofrimento nos outros.


publicado em 10 de Maio de 2017, 00:00
Fd1af135a54533dd4c276d7f8f35b1d6?s=130

Marcos Bauch

Nascido na Bahia, criado pelo mundo e, atualmente, candango. Burocrata ambiental além de protótipo de atleta. Tem como meta conhecer o mundo inteiro e escreve de vez em quando no seu blog, o De muletas pelo mundo.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: