Quando o esporte não era tão profissional

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Selo dorel jpg
  • Vivara130x50 jpg

Houve uma época em que o esporte era menos vistoso, menos publicitário, menos versátil e ansiado. Para o bem e para o mal.

Pudera, não havia transmissões mundiais para milhões e bilhões de espectadores, atletas eram homens necessitados ou birutas, testando seus corpos e coragens a cada disputa. Não havia glamour como hoje, não existia dinheiro como hoje.

Havia só o esporte.

E era massa pra cacete.

vintage_sports_photos_01
vintage_sports_photos_02
vintage_sports_photos_03
vintage_sports_photos_04
vintage_sports_photos_05
vintage_sports_photos_06
vintage_sports_photos_07
vintage_sports_photos_09
vintage_sports_photos_10
vintage_sports_photos_11
vintage_sports_photos_12
vintage_sports_photos_13
vintage_sports_photos_14
vintage_sports_photos_15
vintage_sports_photos_16
vintage_sports_photos_17
vintage_sports_photos_18
vintage_sports_photos_19
vintage_sports_photos_20
vintage_sports_photos_21
vintage_sports_photos_22
vintage_sports_photos_23
vintage_sports_photos_24
vintage_sports_photos_25

Senhores de cartola, homens de bigode, torcida de terno preto. Amadorismo ou semi amadorismo. Sangue e testes malucos. Se hoje temos todos esses espetáculos lustrosos, bonitos, fodas além do limite... é porque pessoas com parafusos a menos começaram isso tudo.

Obs: infelizmente essa publicação só apresenta esportes nos Estados Unidos. Quem tiver fotos da Europa e -- principalmente -- Brasil, manda bala nos comentários aqui embaixo.


publicado em 19 de Dezembro de 2013, 08:00
13350456 1045223532179521 7682935491994185264 o

Jader Pires

É escritor e colunista do Papo de Homem. Escreve, a cada quinze dias, a coluna Do Amor. Tem dois livros publicados, o livro Do Amor e o Ela Prefere as Uvas Verdes, além de escrever histórias de verdade no Cartas de Amor, em que ele escreve um conto exclusivo pra você.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: