Queremos te convidar para um papo com a atleta olímpica Isadora Cerullo

Homofobia, popularização do rugby e participação das mulheres em esportes de impacto serão algumas das pautas na conversa com a jogadora da seleção brasileira

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Selo dorel jpg
  • Vivara130x50 jpg

No rugby, não é o tamanho, a força, nem a velocidade o componente mágico que faz de um jogador diferenciado. Mais valioso que qualquer uma dessas potências é a valentia a maior virtude que o atleta pode ter. Talvez por isso Isadora Cerullo seja um dos destaques da equipe brasileira nesse esporte.  

De estudante de biologia da Universidade Columbia, em Nova Iorque, à jogadora da seleção de rugby, Izzy, como é conhecida, tem uma trajetória nada convencional. Ainda na faculdade, sonhava em ser médica, mas o convite inusitado para assistir uma partida de rugby mudou não só a percepção dela sobre o esporte como os próprios planos de vida. 

"Um amigo da Universidade Columbia,  nos Estados Unidos, onde eu estudava, me chamou para assistir a uma partida de rugby. Fiquei na arquibancada, sem entender nada, mas adorei o que vi. A capitã do time feminino percebeu minha animação e excitação e me chamou para treinar com elas. Joguei futebol a vida inteira, mas não competindo. Fui para o treino e me apaixonei. Nunca mais parei de jogar."

Filha de brasileiros, nascida nos Estados Unidos, a atleta ganhou repercussão mundial ao ser pedida em casamento pela namorada, durante os Jogos Olímpicos no Rio. Com a proposta televisionada para todos os cantos do globo, o Rio 2016 deu visibilidade à causa LGBTTT e levantou uma questão urgente: a homofobia não tem lugar no esporte. E também, claro, ajudou a popularizar ainda mais o rugby no Brasil.

A modalidade está em plena evolução no País, mas ainda enfrenta a falta de incentivo para dar o salto para o estrelato. Presente em quase todos os estados brasileiros, o rugby sofre com a ausência de patrocinadores fortes e cobertura midiática. 

Num mundo que necessita urgentemente de mais práticas benéficas, os primeiros passos para a popularização do rugby vêm em hora certa: criado e idealizado para ser um esporte que prioriza a amizade, a modalidade exalta a lealdade, o companheirismo entre jogadores e o respeito entre equipes. Por aqui, na terra onde reina o futebol, Isadora Cerullo é a prova viva de que a valentia realmente é mais importante que estatura, força ou rapidez. 

Ficou com vontade de saber mais? Esse e outros assuntos serão abordados n'O Papo #8, na WeFab, espaço incrível de conexão entre makers & empresas, e os conteúdos serão disponibilizados depois aqui no PdH, no mesmo formato das conversas anteriores.

Quer participar?

O evento será fechado, mas, assim como já fizemos nos outros encontros, resolvemos reservar algumas vagas para os leitores do PapodeHomem que quiserem interagir ao vivo e tirar aquelas dúvidas que sempre aparecem entre um golo e outro. Por isso, você é nosso convidado para participar d'O Papo com Isadora Cerullo, no dia 14 de dezembro, às 18h, em Pinheiros, São Paulo.

Para se inscrever basta preencher seus dados no formulário abaixo e aguardar nossa confirmação por email ou por telefone. Mas corre porque são poucas vagas!

 


publicado em 10 de Dezembro de 2016, 12:02
15156818 1157572800997192 7054685597498848471 o jpg

Gabrielle Estevans

Gabrielle Estevans é jornalista, editora de conteúdo e coordenadora de projetos com propósito. Certa feita, enamorou-se pela palavra inefável. Desde então, também mantém uma lista de pequenas coisinhas indizíveis.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: