Como se transforma a paternidade no Brasil? Faltam apenas 4 dias para o PAI: Os desafios da paternidade atual.
Compre já o seu ingresso!

Quero pegar alguém, mas sou tímido | Id #55

Como se livrar da timidez na hora da paquera

"Quando adolescente, eu era muito tímido, mal tinha amigos, saia de casa só quando era com meus tios e pais. Fui crescendo e, por volta dos 18 anos, comecei a me soltar mais e fui trabalhando essa timidez para me relacionar com as pessoas de forma amigável. Hoje tenho 23 anos, sou totalmente o oposto do que era antes, falo mais que a boca, não sou de guardar o que sinto, sou sincero no que for possível e mudei muito… Me sinto um pessoa bem feliz e satisfeita.

Porém na época de adolescência mal fiquei com garotas, fui crescendo e me desprendendo um pouco disso porque não era acostumado de ficar dando ideia ou sair pra ficar com alguem, até porque minha timidez não deixava e eu não tinha costume disso.

Fui crescendo assim e, hoje em dia, para assuntos como esses, sou muito tímido. Até consigo conversar, mas no momento de sair e tentar ficar com alguém, eu travo.

Já aconteceu até de sair com uma mina legal, o clima todo no ar, mas travei e não fiquei com ela. Sei lá, não sei por que me sinto inseguro. Até saio com um amigo que passa pelo mesmo problema pra, quem sabe, um ajuda o outro, mas não resolve muito.

Muitos anos se passaram, tenho pouca experiência com relacionamento e acho que isso é um aspecto bem negativo, para meu desenvolvimento.”

Olá,

Um dos maiores enganos que homens sem experiência na área afetiva e sexual (e até os muito experientes) é achar que a paquera tem a ver só com sexo e amor.

Em essência, o que as pessoas querem é viver experiências de alegria, liberdade, autonomia e comunhão pessoal, e por acaso, um relacionamento amoroso ou sexual são vias para expressar essas qualidades humanas.

É importante saber que isso opera para não perder de vista que o sexo ou um eventual relacionamento pode ser um dos resultados de uma interação com uma pessoa, mas que é importante tirar essa pressão para a interação acontecer com naturalidade.

A paquera é uma tentativa de flertar com experiências humanas de expansão emocional em que o resultado pode ser um relacionamento mais íntimo.

Imagine alguém andando no deserto, paisagem monótona e, de repente, surge algo diferente, um sabor, uma fragrância que chama atenção e parece fazer seus coração bater com esperança de que algo importante está para acontecer.

O encantamento é uma narrativa que acontece como num filme. Nenhum personagem vai sendo jogado na tela sem que seja lentamente apresentado, a não ser que o efeito de susto ou invasão seja o objetivo do diretor. É como se lentamente o personagem fosse sendo construído no nosso imaginário, com seus pontos fortes e fracos e, por isso, vamos nos apaixonando e nos identificando com suas capacidades humanas, falíveis e ao mesmo tempo únicas e incríveis.

Ignorar a dimensão humana é o bloqueio número um para quem é inexperiente e fantasia que deveria ser uma pessoa perfeita e sem rachaduras. Mas pra além dos efeitos no próprio jovem mancebo, essa presunção acaba também com a fantasia dos outros. Até o Superman tem um lado B frágil e desengonçado que compõe os seus nervos de aço.

É possível que você trave porque fica preso em fantasias mais do que na realidade.

Isso costuma levar muitas pessoas a naufragarem num mar de dúvidas e mal-estar em qualquer interação humana. Nessa condição de confusão, os homens começam a tratar as mulheres como devoradoras que irão humilhá-lo, como quem se sente atacado por uma miragem. A verdade é que muitos já passaram por experiências que consideraram humilhantes mas que só foram interações estranhas e que não faziam sentido para as garotas.

Mulheres são pessoas, lembre disso, com os mesmos desejos, medos, esperanças e amores que você. É bem verdade que muitos mergulham em experiências culturais diferentes, mas enquanto pessoas elas também querem encontrar sexo, um amor, uma amizade, ou pelo menos uma interação saborosa.

Se você usa uma mulher como um trampolim para ser mais homem e, por isso, escolhe sempre aquela que parece ser a mais bonita para validá-lo (como numa vantagem reversa do tipo "se conquistei essa mulher incrível eu sou incrível"), você simplesmente não está vendo a pessoa e toda a dimensão humana dela. Logo, a interação vai ser murcha. Essa é uma das muitas razões pelas quais objetificar é problemático.

A admiração que você irá provocar em qualquer pessoa é resultado de uma mescla de características virtuosas com coisas bem toscas. Se uma garota não consegue ter empatia pelos seus fracassos ela irá desconfiar e até temer você. Imagine que estranho lidar com um cara infalível?

A firmeza que muitos pregam para conquistar uma garota não nasce de técnicas mágicas, mas de um conforto que você aprende a desenvolver. Uma curiosidade saudável que consegue se entregar no meio da bagunça sem se sentir esmagado. Quem se entrega estimula a entrega do outro, quem faz pose ativa esse tipo de interação também.

Então, meu caro inexperiente, o sentimento de inferioridade, que você chama de insegurança, acontece na medida que você idealiza as interações e ao mesmo tempo demanda validação. Lembre-se que ninguém tem apelo universal. A inteligência ou beleza que atraem um entendiam o outro. Você não vai conseguir e nem precisa ser unânime em nada.

Há quem vá gostar de sua pouca desenvoltura e há quem vá condená-lo. E tudo bem.

Pessoas diferentes buscam diferentes relacionamentos. Não as culpe se elas te rejeitarem.

Um dia você desenvolverá seus próprios critérios para escolher alguém. Por hora, seu critério poderia ser: ter boas interações, independente da possibilidade de sexo ou relacionamento. Isso vai diminuir sua ansiedade, permitirá conhecer o mundo delas, desmistificar enganos e perceber que estamos todos no mesmo barco, navegando sem saber para onde e achando que o amor pode nos dar todas as respostas.

Para se aprofundar mais:

O percurso Admirável Xaveco Novo

Tenho 23 anos e sou virgem | Id #26

Sou rejeitado por que sou feio | Id #24

Como deixar a timidez pra trás | Id #15

Travo quando vejo gente melhor que eu | Id 13

* * *

Nota: a coluna ID não é terapia (que deve ser buscada em situações mais delicadas). É apenas um apoio, um incentivo, um caminho, uma provocação, um aconselhamento, uma proposta. Não espere precisão cirúrgica e não me condene por generalizações. Sua vida não pode ser resumida em algumas linhas, e minha resposta não abrangerá tudo.

A ideia é que possamos nos comunicar a partir de uma dimensão ampla, de ferocidade saudável. Não enrole ou justifique desnecessariamente, apenas relate sua questão da forma mais honesta possível.

Antes de enviar sua pergunta, leia as outras respostas da coluna ID e veja se sua questão é parecida com a de outra pessoa. Se ainda assim considerar sua dúvida benéfica, envie para id@papodehomem.com.br. A casa agradece.


publicado em 25 de Fevereiro de 2016, 22:55
File

Frederico Mattos

Sonhador, psicólogo provocador, autor dos livros "Relacionamento para Leigos" e "Como se libertar do ex". Adora contar e ouvir histórias de vida. Nas demais horas cultiva a felicidade, lava pratos, oferece treinamentos online em A Mente Humana e escreve no blog Sobre a vida.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura