A conversa sobre paternidade é uma das mais importantes do nosso tempo. Venha para o PAI: Os desafios da paternidade atual, discutir e colocar em prática o tema.
Compre já o seu ingresso!

Quero ser Piloto - Parte II

Continuação da primeira parte da matéria sobre como se tornar piloto virtual. Fique agora com gumas dicas práticas para orientar sua entrada nesse mundo.

Claro que tudo isso cobra algumas coisas da sua máquina. Portanto, requisitos do sistema:

- Windows XP SP2 ou Windows Vista
- Processador de 1GHz
- 256MB RAM para o Windows XP SP2, 512MB para o Windows Vista
- Disco rígido com 14GB livres
- Placa de vídeo com 32Mb, compatível com DirectX 9
- Compatibilidade de hardware com o DirectX 9

Se você estiver com a máquina preparada para comportar o jogo, vamos ao próximo passo. Adquirir o Flight Simulator X. Vá até a loja de games mais próxima ou encomende em algum site. O preço do original está em torno de 100 reais.

Após a instalação e conhecer o maravilhoso ambiente do Flight Simulator, é hora de começar a incrementar sua experiência. Você pode encontrar “add-ons” pagos, não pagos e muita informação nos seguintes sites:

www.worldsceneries.com

www.eaglesoftdg.com

www.precisionmanuals.com

www.flight1.com

www.captainsim.com

www.flightsim.com.br

www.aerovirtual.org

www.torredecontrole.com.br

Em seguida, se cadastre no site www.ivaobr.com , baixe os programas necessários para comunicação por voz e todo o resto. Dica: no fórum da própria IVAO BR, você irá encontrar várias informações úteis e poderá tirar todas as suas dúvidas quanto à instalação e qualquer outro tipo de dúvida.

Agora não tem mais volta! Você está dentro do mundo da aviação virtual. Como já visto, você poderá optar entre pilotar ou controlar - de uma torre de vôo - outros aviões. Talvez a dúvida agora seja, “Piloto, controlo, ou ambos?”.

O piloto virtual

O perfil varia demais, não há um padrão. Temos pessoas de todas as idades que têm o sonho de se tornarem pilotos um dia e existem também pilotos reais simulando a própria profissão.

O piloto virtual acumula horas de vôo. Com esse acúmulo de horas ocorrem as graduações. Essas que podem ser obtidas pelo fato de ter acumulado “n” horas de vôo e também por meio de exames, geralmente para uma graduação mais elevada. O piloto virtual pode também ingressar em uma companhia aérea virtual, que nada mais é do que mais um artifício para tornar a simulação o mais real possível. Nesse caso, a companhia virtual tem graduações próprias e internas. Quanto mais graduado, mais benefícios o piloto terá. Justo, não?

As companhias aéreas virtuais, de um modo geral, possuem um padrão de procedimentos, e quem nos explica é Vitor Spadotto (15 anos), piloto e controlador virtual, “se você participar de alguma companhia aérea virtual, terá de ter a escala dos vôos com todas as informações necessárias, que são passadas própria companhia”. Ou seja, uma companhia aérea virtual te monitora a todo instante. No final de cada vôo, o piloto emite um relatório detalhado à companhia com todos os dados do vôo.

Mas afinal, pilotar no virtual gera estresse? Segundo Vitor Spadotto, “ter que fazer tudo em poucos segundos vai gerando estresse” e ainda afirma que “é bom ter experiência como piloto e controlador, assim você entende o outro lado”. Se imaginarmos um espaço aéreo lotado de aeronaves para pouso e pátios lotados para decolagem, uma tempestade atrasando os vôos e ainda por cima ter que lidar com companheiros nada ágeis, fica fácil entender o porquê do estresse.

Isso não elimina as chances de você encontrar algum controlador ou companheiro piloto mais engraçado que seu avô contando piadas para descontrair o ambiente virtual. E olha que isso acontece muitas vezes, e até mesmo no real.

O controlador virtual

Certa vez escutei:

"Controle de aproximação: Confirme o equipamento. (se referindo à aeronave)
Piloto:  Pentium 4, senhor. (se referindo ao computador)
Nesse momento houve um silêncio no canal”.

É assim que Emerson Hajimu (18 anos), controlador virtual, narra uma de suas inúmeras e cômicas histórias colecionadas durante anos de atuação virtual.

Nesse meio dos controladores virtuais, atuam pessoas de todas as idades. Porém, uma das diferenças entre piloto e controlador virtual é justamente o equipamento usado. Enquanto o piloto precisa ter instalado o FS, avião, cenário, etc, o controlador não necessita mais do que alguns arquivos e um programa chamado IVAC (além do cadastro na IVAO, é claro) para atuar.

Emerson Hajimu ainda explica que “o programa IVAC foi desenvolvido
inicialmente em 2003, e proporciona basicamente as funções do SCOPE do controlador real”
e alerta que “o sistema virtual casualmente mostra falhas quando ocorre falha no servidor, ou quando são treinadas falhas simuladas em vôo”

Aqui também existem as graduações. Essas são obtidas primeiramente por quantidade de horas de controle, e em seguida por meio de exames.

E quando o assunto é a tal preocupação, não há como esconder que o controlador virtual se estressa muito. O que mais se ouve dos controladores é o quão complicado pode ser manter a ordem no espaço aéreo em dias de tráfego intenso.

Para Emerson Hajimu o que mais lhe motiva a continuar “são as amizades que cultivamos durante essa caminhada”.

Veja como funciona na prática

Conclusão

É muito bom ver pessoas realmente determinadas a realizar um sonho, começando pela simulação. Uma pena que a aviação virtual não seja nem um pouco divulgada no Brasil. Se fosse, as pessoas teriam mais acesso ao funcionamento de uma aeronave e os procedimentos de vôo. Talvez assim as pessoas não teriam tanto medo de voar. =D

Gostou? Então assine o RSS da PapodeHomem aqui.


publicado em 28 de Março de 2007, 11:29
A8d88da94ffd8a48cc20c0fe97b21144?s=130

Breno Spadotto

(Quase) publicitário e apaixonado pelo comportamento humano. Acredita que as coisas só vão para frente se a causa for abraçada: "Take your risks, live your dreams". Pretende escrever de frente para o mar daqui a alguns anos. No Twitter, /@bnospadotto.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura