Ronaldinho Gaúcho repetiu o chute na trave, dez anos depois

A proeza das quatro bolas na trave se firmou verdadeira e virou desafio da Nike

Sei que a gente vive subestimando o Fantástico - domingo à noite, aquela preguiça, etc  -, mas não podemos negar a falta que o quadro Detetive Virtual fez nos últimos anos.

Quando Ronaldinho Gaúcho bateu a bola na trave por quatro vezes num vídeo de pouco menos de três minutos, há dez anos, questionamos nossa habilidade de identificar o que é verdade e o que é mentira. Hoje, só precisaríamos mandar o material pros técnicos do Fantástico.

Mas quem é você pra questionar as jogadas de Ronaldinho Gaúcho, minha amiga?

Mas, depois do vídeo que a Nike soltou hoje, acho que não vamos precisar. O cara fez a proeza mais uma vez, junto a outros boleiros da nova geração. A jogada é linda e eu realmente acredito que a marca não ousaria falsificar vídeos em 2015.

A parada era um desafio. Lembra da chuteira branca e dourada, famosa Nike Tiempo, que o jogador usou? Ela será relançada em um lote especial, só com três mil unidades pelo mundo. Mas o cara que conseguisse, em três tentativas, acertar uma vez a bola na trave, levaria a peça autografada. E levou.

 

Não sou talento nato em futebol, nem posso te dizer qual foi a trajetória de Ronaldinho no esporte, mas posso falar: que foda! O cara ainda deu aquela cruzadinha nas pernas, chutou certeiro.

Ai, se a gente soubesse chutar assim os gols da vida!


publicado em 28 de Agosto de 2015, 11:30
10710799 10152759290008996 1807417555040828999 n

Marcela Campos

Tão encantada com as possibilidades da vida que tem um pézinho aqui e outro acolá – estuda Jornalismo na Universidade de São Paulo, mas também cursa Saúde Reprodutiva Holística no Justisse College. Compõe a equipe de conteúdo do PapodeHomem, modera uma comunidade de quase dez mil mulheres e não tem preguiça de bater um papo bom.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura