Seja uma pessoa fácil de se trabalhar em parceria | 23 dias para um homem melhor #13

Não seja você um obstáculo para a operação das coisas

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Selo dorel jpg
  • Vivara130x50 jpg

Ouvi de um amigo:

“O Fernando, que você acabou de conhecer, é um baita parceiro, é um cara que dá pra contar. Já perdi as contas da quantidade de vezes que ele me ajudou com as coisas aqui de casa. Sempre bons conselhos, sempre companhia boa pra bagunça e pra programa tranquilo.”

O Fernando, amigo do meu amigo, estava procurando emprego. Ele trabalha na mesma área que o Thiago, amigo em questão. Perguntei ao Thiago o motivo pelo qual ele não convida o Fernando para trabalhar junto com ele. A resposta foi bem taxativa.

“Trabalhar com ele não funciona. Já falei com três pessoas que tocaram projetos junto com ele e a opinião foi a mesma. Não rola.”

A verdade é que, apesar das relações de trabalho serem, no limite, relações, elas se valem de algumas características bem peculiares. Trabalhar bem junto envolve alguns fatores ligados à relação (química, sinergia e completude) e não ao indivíduo, é verdade, mas é fato que existem também pontos particulares, estritamente pessoais e cultiváveis.

Deixando as questões que surgem a partir da relação de lado e focando nesses pontos intrínsecos aos indivíduos, vamos perceber que existem pessoas que se encaixam em qualquer ambiente, trabalham bem com qualquer pessoa e dobram qualquer situação.

Ao invés de destrinchar a personalidade dos bons parceiros, a ideia aqui é focar nas ações. O pacote básico já é grande coisa: ser mais organizado, respeitar os prazos, entender que seu trabalho é “resultado do” ou “insumo para” trabalho de outras pessoas, saber a hora de ser flexível ou enérgico.

Mas dá para fazer mais. Abaixo estão duas práticas simples e bem poderosas.

Não vão faltar oportunidades para praticar.

Interrompa uma avalanche de reclamações

As empresas muitas vezes embotam-se de um clima tenso, azedo, que a gente perpetua sem perceber. Rodas de reclamação se formam, não importa qual o assunto base, nem o estilo da empresa. Empresas que têm massagem, horário flexível, doce de graça e lavanderia sofrem desse mal. Empresas quadradas, que obrigam o terno, que batem cartão, também. No fim do dia, no limite, o CNPJ é uma alucinação coletiva. Tire as pessoas de lá e não temos nada.

Cair no papel do insatisfeito crônico é muito fácil porque ele nos exime da culpa e da responsabilidade de fazer as acontecerem.

Acorde um colega de trabalho e interrompa uma reclamação sem sentido. Todo mundo quer vestir a camisa – desde que seja uma camisa que faça sentido.

Resolva um problema

Eu toco a parte financeira do PapodeHomem e, dentre as demais atribuições, eu faço reembolsos, de todos os tipos: aluguel de equipamento de vídeo, refeições, compras para nossa casa, etc.

O Felipe cuida dos negócios e passa grande parte do tempo visitando as agências de publicidade em São Paulo. Tem semanas que ele faz 8 reuniões, em diferentes pontos de São Paulo, e sempre se locomove de táxi.

Todo mês ele pagava o táxi do próprio bolso e me mandava emails e notinhas solicitando o reembolso. Não é algo complexo, mas implica em agrupar, somar, abrir o site do banco, efetuar uma transferência, notificar nosso contador e enviar um e-mail para ele avisando que depositei o valor correspondente. Há alguns meses eu abri minha caixa de mensagens e ele havia me mandado um e-mail cujo título era: “Será que não nos ajuda?”

Era o formulário de inscrição da Easy Taxi. Agora ele paga tudo pelo celular, o dinheiro não sai da conta dele, e eu recebo um boleto com o valor fechado que eu pago em poucos segundos.

Organizar o reembolso e cuidar do tramite que está por trás não era problema dele. Era meu. Na verdade, era da empresa. E agora não existe mais.

Às vezes, basta um olhar cuidadoso para identificar algo que é simples de ser resolvido, mas que, na inércia da rotina, passa batido.

* * *

Nota: esse texto faz parte da coleção "23 dias para um homem melhor". Você pode ver a lista com todos os artigos já publicados aqui.

Índice de todos os 23 artigos do projeto:

  1. 23 dias para um homem melhor
  2. Aprenda a parar e cultive mais lucidez
  3. Aprenda a falar e ouvir
  4. Faça um check-up de cuidados pessoais
  5. Substitua um hábito alimentar ruim por um bom
  6. Gaste dinheiro com alguém que não seja você
  7. Transforme seu local de trabalho em um espaço de treinamento
  8. Faça trabalhos manuais
  9. Cultive relações de parceria
  10. Use a moda e o estilo como um recurso
  11. Crie experiências coletivas
  12. Faça um planejamento financeiro que realmente funcione
  13. Seja uma pessoa fácil de se trabalhar em parceria
  14. Use o corpo para se expressar
  15. Seja produtivo usando seu próprio método
  16. Faça check-ups e exames regulares – não deixe para ir ao médico quando estiver morrendo
  17. Aprenda a diferença entre amor romântico e amor genuíno
  18. Amplie seu mundo por meio da cultura
  19. Monte um guarda-roupa básico e matador
  20. Cultive mais autocompaixão, ao invés de mais autoestima
  21. Lembre-se que as relações sempre seguem
  22. Cultive disciplina
  23. Faça uma reserva financeira de emergência

publicado em 11 de Fevereiro de 2015, 13:59
Eduardoamuri

Eduardo Amuri

Autor do livro Dinheiro Sem Medo. Se interessa por nossa relação com o dinheiro e busca entender como a inteligência financeira pode ser utilizada para transformar nossas vidas. Além dos projetos relacionados à finanças, cuida também da gestão dO lugar.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: