A conversa sobre paternidade é uma das mais importantes do nosso tempo. Venha para o PAI: Os desafios da paternidade atual, discutir e colocar em prática o tema.
Compre já o seu ingresso!

Shoriuken, o hino de uma geração.

Hoje um amigo apareceu aqui em casa com um kit perigoso.

- Mochila.

- Play(station)2.

- Um case de CDs velho, todo preto, coberto com silver tape e a palavra "Shoriuken!" rabiscada em vermelho, quase como escrita com sangue. Dentro dele, uma coletânea Street Fighter.

Esse tipo de coisa te faz sentir automaticamente uns 10 anos mais novo.

Naturalmente nos alimentamos de vento. Videogame mata fome, porra, todo ex-viciado sabe disso.

Há uma meia hora atrás, paramos pra pedir o clássico combo de pizza gigante com 4L de Coca. Lembrei que ainda não tinha atualizado o PdH. Fui checar a lista de artigos em espera. Mas antes disso, o fucker afobado falou "Cho te mostrar uma coisa, cê vai babar..."

Teclou, w,w,w,y,o,u,t,u,b,e,.,c,o,m .

No campo "search", procurou por: Justin vs Daigo.

Oh, shit. Se prepara.

Ignore a qualidade do vídeo e assista a semifinal completa do campeonato mundial de Street Fighter III de 2004, a partir de agora também conhecida como a melhor luta de Street de todos os tempos.

link vídeo

A técnica usada pelo Ken, controlado pelo Daigo, se chama "parry", é um tipo especial de defesa. Você precisa apertar a manete na direção do seu oponente no momento exato em que o ataque é desferido. Foda pra caralho. Sob pressão, mais ainda. Fazer uma sequência de parry dessas - ele defendeu os 15 chutes da Chun-li - é coisa de mutante. Não é pra menos, vai no nosso fórum ver a cara dos dois malucos.

Vale a pena ver de novo. Só o último round, com narração.

"It´s maaadness!"

link vídeo

Como diria um amigo meu:

"Fiquei de pau duro."


publicado em 22 de Novembro de 2008, 17:22
File

Guilherme Nascimento Valadares

Editor-chefe do PapodeHomem, co-fundador d'o lugar. Membro do Comitê #ElesporElas, da ONU Mulheres. Professor do programa CEB (Cultivating Emotional Balance). Oferece cursos de equilíbrio emocional e escreve pequenas ficções no Instagram.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura