Estamos procurando um autor para escrever sobre saúde do homem no PdH! Topa? Mais informações aqui.

Somos todos pais do Neymar?

De repente futebol virou questão de família.

Neymar teve seu "Dia do Fico" e decidiu permanecer no Brasil. Na sequência, o pai e a mãe dele se tornam personagens frequentes nas notícias sobre o Peixe.

No olho do furacão.

Manda o técnico tomar no cu após ter uma cobrança de pênalti negada. O Santos emite comunicado oficial repreendendo mas reafirmando apoio incondicional ao atleta.

Dorival bate o pé para barrar Neymar no clássico contra o Corinthians.

A diretoria demite Dorival. O Santos perde - e aqui faço questão de frisar que gostei de ver os caras se darem mal, seria péssimo para o cenário esportivo ver uma diretoria agir de forma tão idiota e ser "recompensada". Vergonha desse time.

Mano Menezes não convoca Neymar para a seleção e arremata:

Não queremos ser mais realistas do que ninguém, e nem mais duros do que ninguém. O futebol brilhante dos últimos meses deve ser a marca fundamental de um jogador talentoso como o Neymar. Se isso voltar a ser a regra, ele será novamente chamado. A volta do Neymar vai depender dele. Espero mesmo que seja circunstancial essa fase.

Bravo!

Dorival, sem arrependimentos, assume um Galo em dificílima situação na tabela do Brasileiro.

Neymar (@njr92) fica aí, dando pitis com seu moicano crista de galo e ocupando o Twitter com o #neymarfacts. A imprensa hora bate, hora assopra, incongruência natural. Daqui a pouco dor de barriga dele vai ser capa do EGO. Outro dia esbarrei com artigo sobre o choro de sua mãe, pós indisciplina perante o técnico Dorival Júnior e o capitão Edu Dracena. Porra. Portais de esportes ganhando ares de novela das 8.

Fica então a pergunta: como se coloca um moleque de 18 anos, avaliado em R$80 milhões, "de castigo"?


publicado em 27 de Setembro de 2010, 01:13
File

Guilherme Nascimento Valadares

Editor-chefe do PapodeHomem, co-fundador d'o lugar. Membro do Comitê #ElesporElas, da ONU Mulheres. Professor do programa CEB (Cultivating Emotional Balance). Oferece cursos de equilíbrio emocional e escreve pequenas ficções no Instagram.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura